X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Bandidos expulsam jornalistas de bairro na Serra e dão tiro para alto

| 02/03/2021 08:55 h | Atualizado em 02/03/2021, 12:36

Bandidos armados expulsaram equipes de reportagem do bairro Planalto Serrano, na Serra, na manhã desta terça-feira (2). Os criminosos chegaram a efetuar um disparo para o alto no momento em que uma equipe fazia uma entrada ao vivo na TV.

Os jornalistas apuravam uma reclamação de moradores que relataram que os ônibus não estavam subindo na parte alta do bairro após um intenso tiroteio no final da madrugada.

Equipes de reportagem foram expulsas enquanto registravam a dificuldade de moradores para pegar ônibus.
Equipes de reportagem foram expulsas enquanto registravam a dificuldade de moradores para pegar ônibus. |  Foto: Reprodução/TV Tribuna

"A gente chegou cedo ao bairro para poder registrar as pessoas assustadas, reclamando que tinham que andar muito para pegarem o ônibus na parte baixa do bairro. Estávamos mostrando a situação", disse a repórter Suzy Faria, da TV Tribuna.

A ameaça foi feita por dois homens em uma moto. "Cerca de 40 minutos depois, desceram dois rapazes de motocicleta, um com a mão na cintura, como se estivesse armado, e olhando para a equipe da TV Gazeta, que estava ao vivo. Eu estava no ponto de ônibus, do outro lado da rua, e comecei a monitorar essas pessoas porque desconfiei", contou.

Depois de ameaçar a equipe da TV Gazeta, a dupla fez gestos para as outras equipes. "Eles passaram por mim e chegaram um pouco mais a frente, já começaram a fazer aquele sinal de "cair fora" para as equipes. Estava até me preparando para gravar, mas não consegui. Nessa hora vi ele parando do lado das equipes, mandando sair e apagar as imagens porque eles não queriam problema com ninguém. Disseram que tinha que apagar as imagens 'porque senão os meninos iam ver'", relatou Suzy.

O disparo efetuado para o alto amedrontou moradores que estavam no ponto de ônibus. "Logo que eles saíram em direção ao bloco B, deram um tiro para o alto e continuaram subindo. Os moradores que estavam ao nosso redor, apavorados com o que eles fizeram, suplicaram para que nós saíssemos dali. Então, saímos do local, já que não tínhamos segurança nenhuma", concluiu a jornalista.

O comandante da 4ª Companhia do 6º Batalhão da Polícia Militar, capitão Welligton Sotele, explicou que um homem que estava em um bar foi baleado no pé durante a madrugada.

O Ciodes foi acionado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) quando o homem ferido chegou ao local, segundo o capitão. Ele afirmou ainda que a polícia está no bairro coletando informações e buscando os suspeitos.

Por meio de nota, a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES) informou que "por medida de segurança para colaboradores e passageiros alterou a rota de algumas linhas que passam pelo bairro na manhã desta terça-feira. As linhas que sofreram alteração foram: 895, 880, 866, 855 e 829, que estão indo até a entrada do bairro Planalto Serrano, (parte baixa). A operação voltará ao normal nessas linhas assim que for possível operar de maneira segura no local".

Moradora ameaçada durante tiroteio

Áudios compartilhados em grupos de WhatsApp no início da manhã desta terça-feira impressionam pela quantidade de tiros. "Tiroteio aqui no pé do morro", disse um morador. "É tiro meu filho, abaixa!", disse outro morador para uma criança enquanto gravava o barulho dos disparos.

Uma moradora ficou assustada com o tempo de duração do tiroteio. "Nossa gente, tá um tiroteio aqui perto de casa. Já tem 35 minutos direto. É tiro de metralhadora, pistola, sei lá de que mais. É tanto tiro, tanto tiro. O negócio tá feio. Nunca ouvi tanto tiro. Tiro com força! Muito Tiro! Meu Deus, dá até medo", contou a mulher na gravação de voz.

Em outro momento, a mesma moradora relata que ficou na mira de uma arma. "Nossa! Meu coração tá quase parando. Estava no muro olhando, ouvindo os tiros... tinha parado né, mas começou lá pra baixo. O menino do nada apareceu na minha rua e apontou a arma pra mim. Eu desci do muro e entrei pra dentro. Meu Deus, o cara com a arma na mão. Quando eu tava no muro, ele virou arma e apontou para mim. Pensei: cruz credo, será que esse cara vai atirar em mim? Desci do muro e vim para dentro. Ele passou correndo. Nossa Senhora! Já pensou se esse cara atira em mim? Nunca tive uma arma apontada pra cara igual tive agora", contou assustada.

Veja mais:

Casagrande lamenta ameaças a jornalistas em bairro da Serra
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS