X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Adolescente é estuprada após aceitar vaga de menor aprendiz em Viana

De acordo com a mãe da vítima, a jovem teria sido dopada antes do crime

Redação Tribuna Online, com Informações de Glacieri Carraretto, da TV Tribuna/SBTde | 01/08/2022 16:35 h

Uma adolescente de 14 anos foi estuprada depois que um homem, ainda não identificado, ofereceu uma vaga de menor aprendiz para a menina e também um emprego de vendedora para a mãe da adolescente. O caso aconteceu no último sábado (30), em Marcílio de Noronha, em Viana.

De acordo com a Polícia, a mãe da jovem teria confiado a filha a um casal que estava tentando conseguir o emprego de menor aprendiz para a menina. No entanto, após sair com a adolescente, o casal teria dado um remédio a ela que, desacordada, teria sido violentada.

Segundo a mãe da vítima, o homem apresentou uma suposta loja, uma mulher que dizia ser a esposa dele e até um bebê dentro do carro, para não levantar suspeitas. Depois de ganhar a confiança das duas, o criminoso voltou a passar na casa da família para levar a menina.

"Ele passou aqui e disse que levaria minha filha para pegar o uniforme para começar a trabalhar. Mas não foi isso que aconteceu. Ele levou ela para um lugar desconhecido e a estuprou", contou a mãe.

Ainda de acordo com ela, o homem ofereceu água para a adolescente e, a partir de então, a vítima afirmou não ter mais lembranças de nada e, ao acordar, percebeu que havia sido vítima de estupro. "Quando minha filha chegou aqui, ela falou que tinha sido estuprada e que estava toda machucada".

A estudante foi levada para a delegacia e passou por exames que comprovaram o crime de estupro.

Para a mãe, o pedido é que o homem seja encontrado e preso. "Eu só peço que achem ele e que ele seja preso. Espero que pague pelo que fez com a minha filha", revelou.

Por nota, a Polícia Civil (PC) informou que o caso será investigado por meio da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Até o momento nenhum suspeito de cometer o crime foi detido.

"A PCES destaca que a população pode auxiliar na investigação por meio do telefone 181. O Disque-Denúncia é uma ferramenta segura, onde não é necessário se identificar para denunciar. Todas as informações recebidas são investigadas. As informações ao Disque-Denúncia ainda podem ser enviadas por meio do site, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas".

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS