X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Acusado de matar padre diz à polícia que tinha um caso com o religioso

| 15/10/2020 14:25 h | Atualizado em 15/10/2020, 14:57

Padre Adriano Barros
Padre Adriano Barros |  Foto: Reprodução / Facebook

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu um jovem de 22 anos, que confessou ter assassinado o padre Adriano da Silva Barros, na cidade de Simonésia, região da Zona da Mata. O suspeito estaria tendo um caso com a vítima.

Adriano desapareceu depois de visitar a mãe doente em uma cidade próxima. Após o almoço com os pais e a irmã, o padre sumiu na volta para casa. A polícia foi acionada depois que os familiares não conseguiram contatos por telefone ou mensagens.

O corpo do religioso foi encontrado carbonizado em Manhumirim, cidade próxima da casa da vítima. O crime, descoberto por um morador da região, teria sido cometido na última terça-feira (13).

O suspeito, que não teve seu nome divulgado, afirmou que matou o religioso a facadas e depois voltou ao local para queimar o corpo. O desentendimento por causa de um pagamento em dinheiro teria motivado o crime.

A Diocese de Caratinga e a Paróquia de São Simão em Simonésia emitiram nota de pesar pela morte do padre. Uma missa de corpo presente foi celebrada na manhã desta quinta-feira (15). Já o enterro foi realizado em Manhumirim, na tarde desta quinta.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS