Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Acusado de assassinato tem comércio destruído e queimado por moradores

| 22/08/2021 15:10 h | Atualizado em 22/08/2021, 15:23

Mercearia do acusado de cometer o crime contra o motorista
Mercearia do acusado de cometer o crime contra o motorista |  Foto: Kadidja Fernandes/AT

Um motorista, de aproximadamente 35 anos, foi assassinado com vários tiros, em Jardim Limoeiro, na Serra, após um desentendimento com o dono de uma mercearia, que fica no bairro e que não teve a identidade revelada pela polícia.

Revoltados com a morte de Adalberto Teixeira, moradores foram até o comércio do acusado e além de saqueá-lo, quebraram paredes e móveis e depois atearam fogo. Até a casa do comerciante, que fica em cima da mercearia e dois carros dele, foram alvos da ira da população.

O crime aconteceu por volta de 23h40 de sábado, na rua Itapemirim. Testemunhas relataram que a vítima teria se sentado na porta do comércio do acusado e ingerido bebida alcoólica, atitude que sempre despertou o sentimento de raiva no assassino.

“Ele não gostava que o Betinho( apelido da vítima) ficasse ali na frente bebendo e na situação de ontem, eles acabaram tendo um desentendimento. Mas já teve uma situação onde ele( dono do bar) o ameaçou com uma arma”, contou uma moradora que pediu para não ser identificada.

Moradores queimaram veículo do acusado e jogaram no valão
Moradores queimaram veículo do acusado e jogaram no valão |  Foto: Kadidja Fernandes/AT
Após a discussão, Betinho teria ido a um bar que fica há 100 metros do comércio do suspeito.

Lá, ele permaneceu bebendo e jogando sinuca até ser surpreendido pela presença do comerciante, que estava com mais duas pessoas.

Segundo a Polícia Civil, o comerciante teria efetuado o disparo que acertou e matou o motorista e logo em seguida, fugido em um carro preto.

Ao constatarem a morte de Betinho, que era muito querido por todos, a população se reuniu e seguiu para o comércio do assassino. Lá, eles saquearam alimentos, quebraram as paredes e móveis e colocaram fogo. Também aconteceu o mesmo com a casa do suspeito e com os dois carros dele. Um dos veículos, um Fiat Uno, depois de queimado, foi jogado em um valão do bairro.

O corpo da vítima foi levado para o Departamento Médico Legal(DML), de Vitória, e aguardava para ser liberado até a manhã de ontem. Já o assassino e seus comparsas não foram encontrados até o fechamento desta matéria. O caso segue sob investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa ( DHPP), de Vitória.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS