search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Polícia conclui inquérito sobre criança baleada na cabeça em Guarapari

Notícias

Polícia

Polícia conclui inquérito sobre criança baleada na cabeça em Guarapari


A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) concluiu o inquérito sobre a morte de Matheus Oliveira Marques, de 5 anos, baleado na cabeça, no dia 23 de novembro, enquanto se divertia com a família na Praia do Morro, em Guarapari. O suspeito, identificado como Romildo Barbosa da Hora Júnior, de 18 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar no dia do crime.

Romildo confessou aos policiais que estava tentando se vingar de um homem. Mais detalhes sobre a conclusão do caso serão divulgados pela Polícia em coletiva de imprensa marcada para a manhã desta terça-feira (3).

Relembre o caso

Matheus Oliveira Marques, de 5 anos, morreu na noite do último sábado (30), após ser atingido na cabeça por uma bala perdida, no dia 23 de novembro, em Guarapari. O menino era filho único e morava em Minas Gerais, para onde a família levou o corpo para sepultamento.

A criança estava internada em estado grave na UTI e, de acordo com uma prima do pai do menino, já estava sem atividade cerebral. 

"O Matheus tinha apresentado uma leve melhora. Porque, enquanto os médicos vêem que tem corrente sanguínea, que os órgãos estão funcionando, eles não desenganam a pessoa. E ele estava com tudo funcionando perfeitamente. Porém, não estava com atividade cerebral. Tiraram a sedação, aumentaram os remédios e deixaram ele por conta própria. Só que ontem (sábado), às 22 horas, infelizmente, ele não resistiu", disse a autônoma de 35 anos, que não quis se identificar.

Na manhã desse domingo (1º), o pai do menino esteve no Departamento Médico Legal, mas estava muito abalado e não quis falar com a reportagem.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados