search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

"Poderá ter consequências imprevisíveis", diz General sobre apreender celular de Bolsonaro

Notícias

Publicidade | Anuncie

Política

"Poderá ter consequências imprevisíveis", diz General sobre apreender celular de Bolsonaro


General Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil )
General Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil )

Uma nota oficial divulgada pelo General Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, está causando polêmica nesta sexta-feira (22). O ministro criticou o pedido do Supremo Tribunal Federal, por meio do Ministro Celso de Mello, que pediu a apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro.

A ação faz parte das investigações sobre as denúncias feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro, sobre supostas intervenções na Polícia Federal.

Em sua nota, Heleno escreveu que "o pedido de apreensão do celular do Presidente da República" é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável. Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder".

Em outro trecho, Heleno disse que estava fazendo "um alerta" às "autoridades constituídas" de que o pedido seria uma "tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes".

"O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional", finaliza a nota.

Reprodução da nota do General Augusto Heleno (Foto: Reprodução / Redes Sociais)
Reprodução da nota do General Augusto Heleno (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

OAB critica nota

Em resposta à nota em que o general da reserva Augusto Heleno, ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência, diz que a apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro poderia "ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional", o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, apontou anacronismo e pediu que o militar ajudasse mais no período da pandemia do novo coronavírus.

"General Heleno, as instituições rechaçam o anacronismo de sua nota. Saia de 64 e tente contribuir com 2020, se puder. Se não puder, #fiqueemcasa", escreveu Santa Cruz nesta sexta-feira (22), logo após a publicação do texto pelo general.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados