X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Pernambuco

Polícia Civil prende cinco suspeitos pela morte de torcedor do Santa Cruz

Caso ocorreu em fevereiro deste ano, e dois suspeitos ainda continuam foragidos


Imagem ilustrativa da imagem Polícia Civil prende cinco suspeitos pela morte de torcedor do Santa Cruz
Prisões fizeram parte das ações da Operação Emboscada |  Foto: Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (12), a Polícia Civil de Pernambuco confirmou a prisão de cinco suspeitos pela morte de Rafael Tavares, torcedor do Santa Cruz vítima de um ataque de integrantes da Torcida Jovem do Sport, em fevereiro deste ano.

A autuação faz parte da Operação Emboscada, vinculada ao Comando de Operações e Recursos Especiais (Core), sob a presidência dos Delegados Raul Carvalho e Paulo Moraes, Titular e Adjunto da Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva (Dprie), respectivamente.

Na operação, a Polícia emitiu sete Mandados de Prisão, dos quais conseguiu cumprir cinco. A corporação também cumpriu seis Mandados de Busca e Apreensão.

Os suspeitos serão indiciados pelos crimes de Homicídio Qualificado, Associação criminosa e por promover tumulto. A maioria dos investigados tem passagem por crimes ligados à intolerância esportiva.

O caso aconteceu dois dias antes do ataque ao ônibus do Fortaleza, em partida válida pela Copa do Nordeste, por também integrantes da Torcida Jovem.

De acordo com o Delegado Raul, o fato comprova que esse tipo de violência está sendo premeditado.

"Isso está mostrando que não é uma situação orgânica, que, ao acaso, as pessoas se encontram e se confrontam. Realmente, a gente está vivendo um momento que essas pessoas têm se reunido, tem se organizado e tem buscado esse ataque, porque dois dias antes você comete lesões corporais, que a vítima vem a falecer, e dois dias após tem um ataque ao ônibus, então não é uma situação normal", apontou.

Raul também indicou quais serão os próximos passos da investigação. "A gente está buscando individualizar as condutas das pessoas, colher mais elementos para a gente conseguir buscar identificar o máximo de pessoas que participaram do homicídio de Rafael", garantiu.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: