X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

Metroviários de Pernambuco entram em greve; desta vez por tempo indeterminado

A partir da 0h desta sexta, todas as 36 estações do Metrô do Recife, que atende cerca de 180 mil passageiros por dia, serão fechadas para a população


Imagem ilustrativa da imagem Metroviários de Pernambuco entram em greve; desta vez por tempo indeterminado
|  Foto: Divulgação/Tempus Comunicação

Os usuários do metrô do Recife vão voltar a sofrer mais do que o normal do dia a dia. Isso porque, na noite desta quinta-feira (10), os metroviários decretaram greve por tempo indeterminado com 100% da frota paralisada. 

Dessa forma, a partir da 0h desta sexta, todas as 36 estações do Metrô do Recife, que atende cerca de 180 mil passageiros por dia, serão fechadas para a população. 

De acordo com o presidente do Sindmetro-PE, Luiz Soares, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) apresentou uma proposta de reajuste salarial de 3,45%. Inicialmente, o pedido dos trabalhadores era por um reajuste de 25%, levando em consideração as perdas salariais acumuladas nos últimos anos. 

No entanto, após a primeira audiência de conciliação promovida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 6 Região (TRT6), o percentual solicitado pelos trabalhadores caiu para 7%, em concordância com uma sugestão do Ministério Público do Trabalho (MPT). 

Só que, durante a reunião da manhã desta quinta (10), a CBTU sugeriu um reajuste de 3,45%. Além disso, a empresa afirmou não poder estabelecer uma elevação do piso salarial da categoria, que atualmente é de R$ 1.900. A outra reivindicação dos trabalhadores, que também não foi atendida, era pela garantia de estabilidade em caso de privatização do sistema.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: