search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Os Antivírus são realmente confiáveis?
Mundo Digital
Eduardo Pinheiro

Eduardo Pinheiro


Os Antivírus são realmente confiáveis?

 (Arte: André Felix / AT)
(Arte: André Felix / AT)

Por Eduardo Pinheiro

Quando o assunto é segurança da informação, a primeira recomendação fornecida é a instalação de um software antivírus e antispyware para proteger seus dispositivos informáticos. Os vírus de computador existem há muitos anos, mas ainda hoje causam grande impacto no mundo digital. Aproximadamente, 13% dos dispositivos do mundo estão infectados com alguma praga virtual, segundo um levantamento feito pela Kaspersky Lab.

A instalação de um software antivírus pode proteger o computador de uma grande quantidade de ameaças virtuais. Apesar disso, é preciso estar sempre atento à proteção do seu dispositivo, pois a segurança que o fabricante do antivírus promete pode não ser tão eficaz quanto ele afirma ser.

Um estudo realizado pela empresa de tecnologia Imperva, em parceria com a Universidade de Tel Aviv, comprovou, após testar 82 novos tipos de códigos maliciosos (malware), que nenhum dos 40 tipos de antivírus mais utilizados no mercado foi capaz de detectar a presença desses malwares.

Isso ocorre devido ao período que os fabricantes de antivírus levam para descobrir e desenvolver a vacina contra cada tipo de praga virtual identificada. Esse período pode chegar a até 100 dias. Sendo assim, por melhor e mais caro que seja o seu antivírus, você pode ficar mais de 3 meses desprotegido.

Em vista disso, é melhor ter um software antivírus instalado no computador do que não ter nenhum, pois nos dispositivos desprotegidos o índice de infecção é três vezes maior em relação aos que possuem algum tipo de programa de proteção.

Não podemos descuidar também das outras dicas de segurança, além da utilização do software antivírus, é preciso verificar se as opções de atualização do sistema operacional do dispositivo estão habilitadas. Essas atualizações são muito importantes, pois corrigem as falhas que os malwares exploram para invadir o equipamento.

Outra dica importante é ter bastante cuidado com os e-mails. Procure sempre identificar a procedência da mensagem eletrônica, principalmente as que possuem arquivos anexados ou links que direcionam para endereços eletrônicos desconhecidos. Esses e-mails, normalmente, possuem mensagens genéricas não direcionadas especificamente à vítima e, por meio de uma técnica chamada phishing, induzem o internauta a clicar em um link para instalar o malware, já que o antivírus pode não detectar.

Mesmo com todos esses cuidados, ainda será fundamental a atitude do usuário quando o antivírus faz o papel que se espera dele e detecta um vírus, alertando o usuário sobre a presença de uma possível ameaça e, mesmo assim, o usuário opta por executar ou abrir o arquivo. Nesses casos, não existe software antivírus e dicas de segurança que garantam a segurança dos dados e das informações do usuário, haja vista que a autoconfiança, a impulsividade ou a curiosidade do usuário irá deixá-lo entregue ao fator sorte.

Portanto, segurança da informação é muito mais que possuir um bom antivírus, é preciso estar atento e manter no ambiente virtual o mesmo estado de alerta que mantemos nas ruas das nossas cidades.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados