search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O último suspiro
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


O último suspiro

O projeto de reformulação administrativa, econômico-financeira e organizacional anunciado pelo Botafogo no início da semana é sopro de esperança na retomada da capacidade de investimento.

Jorge Braga, o economista que em março assumiu a função de CEO, tem se desdobrado no desenvolvimento do plano estratégico e é provável que até a estreia do time na Série B, no último final de semana de maio, contra o Vila Nova/GO, o clube já tenha os primeiros sinais de sua nova vida.

Mas até lá as medidas serão alarmantes: redução do número de vice-presidências, extinção de modalidades esportivas que não forem autossustentáveis e drástica diminuição do quadro de funcionários.

A readequação do orçamento aos parâmetros que realidade exige abrange a demissão de mais de 100 empregados e rigoroso controle de gastos.

O Botafogo sugerido por Jorge Braga bebe na fonte do catalão Ferran Soriano, homem que há 20 anos mudou a cultura do Barcelona, e hoje dá as cartas no City Group.

Inspiração

O autor do best-seller “A bola não entra por um acaso” foi quem inspirou também o ex-presidente rubro-negro Eduardo Bandeira em seu primeiro mandato entre 2013 e 2015.

O dirigente do Flamengo, na época, recebeu consultoria informal do então dirigente do Barça e adequou o plano de governo traçado por um grupo de bem-sucedidos empresários ligados ao clube à realidade do futebol.

Era início da década e os resultados mais expressivos só apareceram ao final do segundo mandato.

Isso quer dizer que Botafogo e Vasco estão quase dez anos atrás do Flamengo, realidade que alvinegros (e vascaínos!) precisam assumir, deixando a rivalidade de lado e sem perder a paixão.

Apequenamento

É duro torcer por um grupo de jogadores apenas esforçados ou promissores, independentemente da divisão que se disputa, mas é inevitável encarar o momento. Todos os clubes, mesmo os já profissionalizados, tomarão medidas drásticas e aqueles que não se adaptarem correrão o risco do apequenamento.

A diferença é que, em alguns casos, a diminuição do tamanho pode condenar alguns deles à extinção.
Por isso, se faz urgente a mudança de paradigma ainda não compreendida por muitos. É o último suspiro daqueles que vivem presos ao passado e se negam a olhar para o futuro com coragem e esperança...

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Os cem dias

A prestação de contas do plano de metas elencadas para os primeiros 100 dias da gestão de Jorge Salgado na presidência do Vasco não é das mais animadoras para o torcedor. Porque em última análise o …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Deu aula!

Dos 14 jogadores utilizados pelo Manchester City ontem nos 2 a 0 sobre o PSG, com gols do franco-argelino Mahrez, apenas três eram ingleses. Do outro lado, dos 16 que foram a campo com a camisa do …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Rogério Ceni e Roger Machado fazem das semifinais do Carioca um estratégico laboratório para a construção e aperfeiçoamento de equipes competitivas. Joga-se muito no futebol brasileiro e não há outra …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Gol e paixão

Aos 37 anos, Fred marcou na quarta-feira o oitavo gol em seu sétimo jogo na temporada. Ainda que quatro deles tenham sido contra adversários de menor expressão, um foi contra o Vasco e outros três em …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Fora da ordem

A tão esperada reestruturação da dívida do Vasco ainda não saiu do papel. Mas não é por incompetência. É mesmo pela falta de recursos financeiros para acordo com credores, algo que faz crescer o que …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Não ouvi um só morteiro estourado após a conquista da Taça Guanabara na noite de sábado. Pudera: a rotina tem sido tão exaustiva em termos de comemoração que as torcedores do Flamengo já economizam …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Sabor de vitória

Dos 14 jogadores que o vitorioso Marcelo Gallardo levou a campo ontem à noite, no Maracanã, para enfrentar o Fluminense na estreia do River Plate na Copa Libertadores, nove estiveram na final da …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Não deu liga...

Aporte financeiro de US$ 4,8 bilhões garantido pelo JP Morgan e modelo de disputa repetindo premissas da NBA e da NFL. O projeto de criação da Superliga de Clubes Europeus me parecia ter mais do que …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

As derrotas do Vasco para Portuguesa/RJ e Volta Redonda nas duas primeiras rodadas acabaram como divisor de águas para a definição dos quatro semifinalistas do Campeonato Carioca. Como esperado, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Primeiro estágio

Em sua palestra a profissionais matriculados no curso de aprimoramento para a Licença Pro da CBF Academy, na semana passada, o francês Arsène Wenger abriu a dissertação falando que há dois tipos de …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados