search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O tom da crueldade...
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


O tom da crueldade...

Embaçadas por tudo que cercou a conquista do bicampeonato do Flamengo, as análises da atuação do Fluminense nos três jogos que decidiram a Taça Rio e o Carioca tiveram o imperceptível tom da crueldade. E por um simples motivo: quem se precipitou em criticar a postura defensiva do time de Odair Hellmann, por certo esqueceu que os tricolores tiveram apenas dez dias para reavaliação física e treinos com bola, sendo obrigados por uma Federação covarde e insana a fazer, desnecessariamente, seis jogos em 18 dias.

Foi, em média, uma partida a cada três dias, sendo as últimos quatro, clássicos decisivos.

Era evidente que o time do Fluminense encontraria dificuldades para derrotar o Flamengo, mesmo em condições iguais de preparação.

Primeiro, pela qualidade do elenco rubro-negro, desproporcional a qualquer outro rival do Rio de Janeiro – quiçá do Brasil.

Eficiência
E depois pela eficiência coletiva conseguida pelo português Jorge Jesus em 13 meses de trabalho.
Seria muita ingenuidade, portanto, achar que os times mediriam forças dentro de um mesmo padrão de jogo com tanta discrepância entre eles.

Estratégia
Taticamente, não havia outra estratégia para os tricolores senão a redução do campo de jogo, com marcação forte e contragolpes.

Nasce daí a sensação de crueldade com um trabalho que está apenas em seu início. Li e ouvi críticas ao que seria um trabalho monocórdio de Odair Hellmann tentando repetir no Fluminense o modelo desenhado para o Internacional de 2019.

Ainda que seja isso, devo lembrar que o treinador conseguiu somar 57,5% dos pontos disputados pelo time colorado, saindo a dez jogos do término do Brasileiro por desgastes causados pela falsa expectativa de que já era um coletivo capaz de ganhar as Copas do Brasil e até mesmo a Libertadores.

Competitividade

Mal ou bem, Hellmann deu competitividade ao time gaúcho que, em 2018, ele levou ao terceiro lugar do Brasileiro.

O Fluminense tem limitações severas, mas deixou no Estadual a impressão de que pode ser mais do que um time de veteranos...
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Lá vem o Tite

A convocação da Seleção Brasileira para os dois primeiros jogos das eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, nos dias 9 e 13 de outubro, contra Bolívia e Peru, trará um novo desconforto para Domènec …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Crédito até outubro

A eliminação do Benfica de Jorge Jesus com a derrota para o PAOK da Grécia na fase classificatória a fase de grupos da Champions League acendeu em alguns rubro-negros a chama da esperança do retorno …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Com menos de um terço de disputa das rodadas do Brasileirão é nítida a preocupação com o desgaste dos jogadores. Poupar este ou aquele já não é ideia de um ou outro técnico — é o que eu prefiro, por …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Patrimônio afetivo...

Em tempos de pandemia, com a depressão invadindo as residências do mundo inteiro, em especial as de um Brasil desesperançado, a memória afetiva tem sido importante aliada na manutenção do pensamento …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A marcha lenta...

Das cinco partidas sem vitória no Brasileirão, em três o Botafogo esteve perto dos três pontos. No empate em 1 a 1 com o Flamengo, dois deles escaparam por segundos. No 2 a 2 com o Corinthians, mais …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A má escolha...

Tenho curiosidade em saber os valores do empréstimo dos direitos federativos de Piris da Motta, de 24 anos, do Flamengo para o Gençlerbirligi, da Turquia. Porque o paraguaio contratado em julho de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A longevidade de Nenê

Nenê volta ao Morumbi hoje à tarde para enfrentar o São Paulo de onde saiu no ano passado, já aos 38 anos, como se fosse o estorvo que travava o time. Chegou ao Fluminense em junho sob a desconfiança …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O exorcista

Dentre as virtudes que o Vasco tem demonstrado me chama atenção o fato de o time não se omitir em jogos fora do Rio de Janeiro. Pelo contrário, até: talvez tenha feito contra Ceará (3 a 0), Goiás (2 …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Vasco se assusta...

Nos últimos 20 dias, o Vasco teve seis jogadores contaminados pela Covid-19: Bruno César, Bruno Gomes, Vinícius, Ricardo, Werley e Breno. Casos que coincidem com o início da preparação do time para a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas Impressões...

Leonardo Gaciba, chefe da comissão de arbitragem da CBF, deveria vir a público outra vez explicar os critérios que sua equipe adota na utilização do VAR. Porque a agressividade do goleiro Gatito, …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados