search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O Rio de Janeiro continua lindo, mas até quando?
Tribuna Livre

O Rio de Janeiro continua lindo, mas até quando?

Matéria jornalística exibida recentemente no Rio de Janeiro apresentou dados aterrorizantes da criminalidade no estado.

Os dados apontam um mapa inédito do crime e foi produzido pela Polícia Civil para orientar o Supremo Tribunal Federal (STF) em ação que decidirá sobre as regras para operações policiais nas favelas do Rio, durante a pandemia.

Praia no Rio de Janeiro  (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Praia no Rio de Janeiro (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Conforme indicado pela polícia, o crime organizado no RJ controla 1.413 favelas, sendo que 81% são dominadas pelo tráfico e 19% pelas milícias. São 828 comunidades sob o controle da organização de traficantes mais poderosa do RJ e 278 completamente controladas por milícias.

Grupos menores de traficantes dividem o controle das outras 307 áreas. São números assustadores e que, infelizmente, não param por aí! Mais de 100 escolas estão situadas em áreas de risco, dominadas por milícias e por traficantes que, aos poucos, diversificam suas atividades.

As milícias, para aumentar os lucros e manter a força em seus territórios, já estão atuando no comércio de drogas. Os traficantes, por sua vez, passam a atuar, também, em atividades típicas de milícias. Tiroteios e chacinas são frequentes.

As estimativas apontam para a existência de 56.620 criminosos em liberdade. O efetivo de toda a Polícia Militar conta com 44.570 homens e mulheres para fazer frente ao exército de marginais. Como se não bastasse a desproporcionalidade dos números, apenas 22.322 policiais trabalham na atividade fim, ou seja, patrulham as ruas objetivando coibir a ação dos bandidos.

A Polícia Civil reforça essa guerra desigual com apenas 8.842 agentes, que são responsáveis por investigarem os crimes praticados. Apenas para se ter noção do tamanho do problema, há em andamento 675 inquéritos policiais que investigam organizações criminosas, 4.137 que investigam estupros, 5.522 que apuram homicídios e 2.200 que investigam tráfico de drogas.

No meio desse cenário desanimador, a Polícia Civil ainda investiga 9.672 casos de violência doméstica. Dentro dos presídios os números não são melhores.

Estimativas apontam para a existência de 51 mil presos ligados às facções criminosas, 895 criminosos de altíssima periculosidade têm mandando de prisão em aberto e contribuem para que o caos continue a reinar nessa guerra injusta e desigual.

Lamentavelmente, um dos cartões postais do Brasil vem, ao longo dos anos, se transformando num estado sucateado pela corrupção e má gestão. A criminalidade ocupa os espaços deixados pelo poder público e os cidadãos de bem tentam sobreviver frente à violência desenfreada e a deficiência de serviços públicos elementares.

O Rio se transformou num caminho a não ser seguido, um mau exemplo. O triste destino desse belo estado fortalece a tese de que educação de qualidade, oportunidade aos jovens, políticas públicas efetivas no campo da habitação e saneamento e investimentos inteligentes na segurança pública são o melhor caminho para que não nos transformemos num outro Rio de Janeiro.

Eugênio Ricas é adido da Polícia Federal nos Estados Unidos.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Exclusivo
Tribuna Livre

A modernização dos cartórios em tempos de Covid-19

Mesmo antes da pandemia, o sistema cartorário já tinha migrado diversos serviços para serem solicitados e feitos através das centrais online. Durante o período da quarentena, essas centrais se …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados