search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O primeiro ano da pandemia e a memória do tempo da morte
Tribuna Livre

O primeiro ano da pandemia e a memória do tempo da morte

Por estes dias, faz um ano que mergulhamos para valer na atmosfera mortífera da pandemia. Ainda que não encerrado em sua dramática sucessão de mortes diárias aos milhares, tempo decorrido é tempo de memória. É o caso, então, de se alertar: o importante não é apenas o que se lembra, mas também, e fundamentalmente, o que se esquece.

Essa operação é crucial, posto que forja um passado para sustentarmos o hoje e um possível amanhã. Ademais, esse movimento não é involuntário ou casual. Apesar da aparente espontaneidade, lembrar e esquecer são atitudes social e politicamente pautadas, o que também remete ao fato de que, absolutamente subjetiva, a memória resulta do fenômeno coletivo de fixar recordações e promover esquecimentos.

A memória coletiva contém a memória individual e vice-versa. É assim que a dor geral das mortes em massa, mais de 250 mil, se atomiza e entra em cena a trágica experiência pessoal de laços desfeitos pela ausência – um a um! Nessa progressão de desaparecimentos e lamentos, milhões choram a perda de milhares. E daqui a pouco, também começam a marcar no cruel calendário da saudade o primeiro ano da falta, numa doída contagem que durará uma vida.

Morrer é uma pena. Morrer é uma dor. Morrer é uma tristeza. Morrer numa pandemia é uma tragédia. Morrer numa pandemia de abandonos, uma desgraça aviltante. Essa é a via-crúcis que se coloca às nossas possibilidades de lembrar e esquecer.

Talvez tentem enterrar na vala comum do esquecimento a catástrofe de desmazelos dentro da catástrofe sanitária, naturalizando cadáveres além da conta do vírus. Mas vale repisar que o horror vivo da pandemia não bafeja apenas pela mortal presença virótica, mas também e assustadoramente pelo desvalor ignóbil à vida entre nós.

Esquecer, jamais! Posto que olvidar o infame e assombroso número de óbitos e sua dupla causa mortis, a do vírus e a do desamparo, seria mesmo banalizar o mal, fazendo de cada vida morta mero número a mais no quadro de tantas mortes brasileiras.

Pela pulsão de vida que anima a alma, insistimos em olhar adiante. Mas é vital observarmos o panorama disposto ao “Anjo da História”, conforme Benjamin: “Seu rosto está dirigido para o passado. Onde nós vemos uma cadeia de acontecimentos, ele vê uma catástrofe única, que acumula incansavelmente ruína sobre ruína [...]. Ele gostaria de deter-se para acordar os mortos e juntar os fragmentos. Mas uma tempestade sopra do paraíso e prende-se em suas asas com tanta força que ele não pode mais fechá-las. Essa tempestade o impele irresistivelmente para o futuro, ao qual ele vira as costas, enquanto o amontoado de ruínas cresce até o céu. Essa tempestade é o que chamamos de progresso”.

Ao contrário do Anjo, nossa face teima em contemplar o futuro, e dar as costas ao passado. Que assim seja, mas que nossa redentora devoção ao horizonte não nos deixe esquecer a história do que se passou e se passa. Senão, será só mais e mais escuridão – e ruína.

JOSÉ ANTONIO MARTINUZZO é pós-doutor em Mídia e Cotidiano e membro da Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A dura realidade da insônia provocada pela pandemia

Entrando no segundo ano da pandemia, um assunto recorrente é a insônia. Com a ansiedade e o estresse que todos estão vivendo, esta síndrome segue em alta. De acordo com um estudo feito pela Universid…


Exclusivo
Tribuna Livre

Redes sociais e vendas na internet salvam negócios na pandemia

Manter as vendas, crescer e até aumentar o faturamento apesar da pandemia, lockdown, distanciamento social. É utopia ou realidade? É, sim, uma realidade, para muitos negócios que já apostavam no …


Exclusivo
Tribuna Livre

Combate ao preconceito sofrido por quem tem transtorno mental

Nossas mentes estão cada vez mais cansadas diante de tantas informações e novos cenários. Consequentemente, ter que lidar com os transtornos que a pandemia está causando na vida cotidiana e na saúde …


Exclusivo
Tribuna Livre

Conquistas e desafios do Marco Legal da Primeira Infância

Em 2016, o Brasil obteve importante conquista com a entrada em vigor do Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº 13257/2016) que concretizou princípios previstos em nossa Constituição e traçou …


Exclusivo
Tribuna Livre

Qual melhor forma de ensinar e aprender idioma no isolamento?

O uso da Internet no ensino de línguas não é nenhuma novidade, assim como não é novo ensinar inglês à distância. De fato, isso já vinha sendo feito, principalmente em sua forma conhecida como …


Exclusivo
Tribuna Livre

Vai e vem da burocracia do INSS e a solução na esfera judicial

A pandemia do coronavírus agravou uma realidade já contundente: a fila daqueles que aguardam uma resposta do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) continuou a se estender, fazendo com que seus …


Exclusivo
Tribuna Livre

Bilhões de reais em precatórios devolvidos aos cofres públicos

Uma luta que muitas vezes demora longos anos e que, depois de árdua vitória, não tem cumprido a eficácia prática esperada. Quem tem direito a receber precatórios sabe que o pagamento não acontece de …


Exclusivo
Tribuna Livre

Aniversário de 186 anos da Polícia Militar do Espírito Santo

Resiliência é um termo emprestado da física, hoje muito utilizado em várias áreas do conhecimento, sendo ressignificado como a capacidade das pessoas, ou mesmo instituições, de resistir e se adaptar …


Exclusivo
Tribuna Livre

Caminhos acessíveis para a mobilidade sustentável

Todos os dias, uma quantidade enorme de dióxido de carbono é liberada na atmosfera pela queima de combustíveis fósseis das indústrias, pelos meios de transporte, pela geração de energia e até pela …


Exclusivo
Tribuna Livre

Pela disseminação de notícias reais, é preciso mudar e rápido

A mentira existe desde que o mundo é mundo. Nem mesmo os filósofos da antiguidade conseguiram entrar num consenso sobre o tema: Platão disse que sim, o indivíduo tem o direito de mentir, mas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados