search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O “caso Diniz”
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


O “caso Diniz”

“Seu ingrato do c..., seu perninha do c..., seu mascaradinho. Vai se f...”. As palavras de Fernando Diniz dirigidas ao meia Tchê Tchê, seu jogador no São Paulo, na derrota por 4 a 2 sofrida para o Red Bull Bragantino, continuam dando o que falar. Marcos Silva, psicólogo da área esportiva, disse na sexta-feira ao EXTRA/Globo que à luz das relações profissionais “houve, sim, exagero” da parte do treinador.

Diniz e Tchê Tchê “emergiram” para prateleira mais alta no futebol brasileiro com a surpreendente campanha do Audax de 2016, vice-campeão paulista, onde técnico e jogador se sobressaíram junto a participantes daquela jornada. Mas Diniz, por suposto, deve se ver com créditos a receber. Não sei. Sei que o destempero com a arbitragem logo após o empate com o Grêmio, numa das semifinais da Copa do Brasil, diz muito sobre o momento.

Ouvi pessoas que conhecem Diniz dentro e fora do ambiente de trabalho para tentar entender de onde vem este comportamento irascível à beira do campo. E, pelo que depreendi, a necessidade de ser visto como vencedor incomoda o treinador que lidera o Brasileiro.

O Fernando Diniz formado em psicologia pela Universidade São Marcos, em São Paulo, sempre se mostrou exigente, competitivo e incansável na automação de suas ideias de jogo. Mas destempera agora com facilidade e “erra na mão” com mais frequência - resvalando nos ataques pessoais e no assédio moral a subordinados, trato percebido com a ausência de público nos estádios.

Aqueles que o conhecem melhor se dividem entre os que se preocupam com a extrema necessidade de ele se firmar no competitivo e injusto mercado, e os que minimizam a ira do treinador, atribuindo o exagero à relação nada convencional de Diniz com os jogadores que dirige.
E até citam como exemplo o bate-boca entre ele e o lateral Gilberto, em 2019, quando se encararam à beira do campo, no Maracanã, após o gol de empate do Flamengo num jogo em que o próprio Gilberto havia aberto o placar para o Fluminense.

A discussão foi retomada no vestiário, testa com testa, jogador e técnico se desafiando mutuamente, fora de controle... Até que os ânimos foram serenados e a relação se renovasse, com mais carinho entre ambos.

Ou seja: ficou tudo bem, como se espera que fique agora com Tchê Tchê. No entanto, o desequilíbrio de Diniz parece refletir a pressão sobre o líder São Paulo que perdeu três e venceu dois dos últimos seis jogos.

E este é o fio de esperança no qual os rubro-negros deviam se agarrar na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas Impressões...

A temporada de 2020 ainda não terminou para Grêmio e Palmeiras que ontem fizeram a primeira das duas partidas que apontarão o campeão da Copa do Brasil. Mas a temporada 2021 já começou em vários …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O comando...

Rogério Ceni ficará no Flamengo para mais uma temporada de vitórias. E não sei porque ainda levantam suspeitas sobre seu futuro no clube. Afinal, antes mesmo da conquista do bicampeonato …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Octa danado

A conquista do oitavo título Brasileiro do Flamengo não deve ser analisada de forma isolada, com base no desempenho do time na derrota de 2 a 1 para o São Paulo, no Morumbi. Tampouco com o rali …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Fica a dica

Levou pouco mais de 20 anos para a CBF, criada em 1980, assumir, em definitivo, que o futebol brasileiro devesse ter um campeonato nacional por pontos corridos, reunindo apenas 20 clubes e procurando …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

É plenamente compreensível a euforia dos torcedores do Flamengo com a vitória que coloca o time na liderança da Série A do Brasileiro a uma rodada do término. O oitavo título depende de uma …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

DNA de vencedor...

O saldo do Flamengo é dos mais positivos – à altura do elenco montado com o investimento inicial superior a R$ 200 milhões. E essa balança favorável entre expectativa e realidade é o que faz do time …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Sem saída...

Dissidências políticas, conluios para o esvaziamento da diretoria administrativa, discussão sobre o processo eleitoral, torcedores se enfrentando nas redes sociais na defesa dos cartolas de estimação…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Aspirante tricolor...

A campanha do Fluminense no Brasileirão, disputando com São Paulo e Atlético/MG uma vaga no G-4, consolida a filosofia do seu departamento de futebol, que sofreu com os impactos financeiros trazidos …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Faz tempo que alerto aqui para a necessidade de a CBF “ajustar” os parâmetros no relacionamento entre árbitros e clubes para, no mínimo, mitigar os possíveis problemas (perfeitamente compreensíveis) …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Concentração e reza forte...

O Flamengo foi o único dos 20 clubes da Série A que somou dez pontos nas últimas quatro rodadas do Brasileiro. E essa arrancada iniciada com a maratona de jogos fora do Rio de Janeiro indica que …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados