search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Nasa lança robô para buscar vidas em Marte

Notícias

Publicidade | Anuncie

Internacional

Nasa lança robô para buscar vidas em Marte


O robô Perseverance, da Nasa, partiu nesta quinta-feira (30) da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida (EUA), em um foguete Atlas 5, rumo a Marte, em busca de vida em um local que já foi um lago há bilhões de anos.

A previsão de pouso no Planeta Vermelho é em 18 de fevereiro do ano que vem. A missão, que saiu às 7h50 (horário local, 8h50 em Brasília), terá custo de US$ 2,4 bilhões (cerca de R$ 12,4 bilhões). Esta é a nona missão da Nasa à superfície de Marte.

“Estamos todos emocionados. É fantástico”, disse o diretor de ciências planetárias da Nasa, Bobby Braun, após o lançamento.

Foguete Atlas 5 lança sonda para Marte: vestígios de vida humana (Foto: Divulgação/Nasa)
Foguete Atlas 5 lança sonda para Marte: vestígios de vida humana (Foto: Divulgação/Nasa)
Um cientista brasileiro participa da missão Mars 2020. É o astrônomo e físico Daniel Nunes, que garantiu os ajustes finais em casa, de quarentena. Ele trabalha na Nasa desde 2014 e é responsável pela produção de um radar de penetração do solo de Marte.

A sonda robótica de seis rodas do tamanho de um carro leva um mini-helicóptero para Marte para coletar amostras, e pela primeira vez vai observar a geologia e transformar dióxido de carbono em oxigênio para viabilizar uma missão com humanos no planeta. E a primeira vez que vão até uma cratera com sedimentos em Marte com chance de encontrar vestígios de vida anterior.

“Qualquer um desses resultado vai ser histórico”, diz Nunes.

O Perseverance deve pousar na base de uma cratera de 250 metros de profundidade chamada Jezero, que foi um lago 3,5 bilhões de anos atrás e que cientistas suspeitam conter indícios de vida microbiana extinta em Marte.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados