search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Não é preciso esperar novas vacinas, as que temos são eficazes contra delta, afirma Opas

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Não é preciso esperar novas vacinas, as que temos são eficazes contra delta, afirma Opas


Questionado sobre os estudos para novas vacinas contra a covid-19, o diretor-assistente da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, reforçou a eficácia dos imunizantes já existentes.

"Não precisamos esperar novas vacinas", afirmou em coletiva à imprensa nesta quarta-feira, "as vacinas que têm permissão de uso emergencial da Organização Mundial da Saúde (OMS), com os dados que temos, são comprovadamente eficazes contra a variante delta."

O diretor da Organização Pan-Americana de Saúde reforçou a eficácia dos imunizantes já existentes (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)O diretor da Organização Pan-Americana de Saúde reforçou a eficácia dos imunizantes já existentes (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

O diretor também reforçou a importância de que as pessoas recebam as duas doses do imunizante para garantir a imunização completa.

Em relação à aplicação do imunizante em crianças, Barbosa reafirmou a necessidade de que os fabricantes concluam seus estudos sobre eficácia nesse público antes de abrirem uma solicitação de uso emergencial à OMS. A fabricante Sinovac já o fez, enquanto a AstraZeneca, não, exemplifica o diretor.

Diretora da Opas, Carissa Etienne enfatizou a importância de proteger crianças e adolescentes contra a covid-19 e o risco que correm. "No ano passado, foram registrados mais de 1,5 milhão de casos da covid-19 entre crianças e adolescentes na região das Américas. Em nove meses deste ano, as infecções atingiram mais de 1,9 milhão de pessoas nessa faixa etária", informou.