search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mulher é presa por simular assalto e matar o marido com ajuda do amante

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Mulher é presa por simular assalto e matar o marido com ajuda do amante


Thayla Bonicenha Crivelari Fim e a vítima, o agricultor Alexandre Fim (Foto: Reprodução/Acervo Pessoal)Thayla Bonicenha Crivelari Fim e a vítima, o agricultor Alexandre Fim (Foto: Reprodução/Acervo Pessoal)

Uma mulher de 22 anos e seu amante, um lavrador de 25 anos, foram presos na noite desta segunda-feira (26) pela Polícia Militar acusados de matar o agricultor Alexandre Fim, 34 anos, marido dela, e simular um assalto para evitarem ser detidos.

O crime ocorreu no sábado (24) à noite, na região de Monte Alverne, zona rural de Castelo, no Sul do Estado, onde a vítima morava com Thayla Bonicenha Crivelari Fim e a filha de 2 anos. A mulher e o acusado de participar do crime - o nome dele não foi divulgado, apenas as iniciais F.D.S.C. - foram presos por meio de mandado de prisão temporária e já foram conduzidos ao sistema prisional. Eles confessaram o crime, segundo a Polícia Civil.

Segundo a ocorrência policial, o crime teria ocorrido por volta de 22 horas de sábado. A mulher alegou aos policiais que o casal estava deitado quando o marido ouviu um barulho do lado de fora da residência. Ao sair para ver, teria sido rendido por dois homens armados.

O casal Alexandre Fim e Thayla Bonicenha Crivelari Fim (Foto: Reprodução/Acervo Pessoal)O casal Alexandre Fim e Thayla Bonicenha Crivelari Fim (Foto: Reprodução/Acervo Pessoal)

Na versão contada inicialmente por Thayla, os bandidos teriam invadido a casa e a prenderam com a filha em um dos quartos. Ela justificou que ficou presa até de madrugada, 1 hora de domingo (25). Ao perceber que os criminosos tinham ido embora, pediu ajuda ao pai, que foi ao local com vizinhos. Só então, segundo a acusada, teria descoberto que o marido havia sido morto.

Ainda, segundo a mulher, os criminosos teriam levado quatro anéis de ouro, uma televisão e alguns equipamentos da roça, além do carro do casal, um Fiat Palio.

“Só que os policiais militares desconfiaram e conseguiram chegar a um parente da mulher, que revelou tudo”, ressaltou o delegado de Castelo, Marcelo Meurer. Ele pediu a prisão, que foi decretada pela Justiça na segunda-feira.

Na manhã desta terça (27), de acordo com o delegado, o casal foi ouvido e confessou o crime. Para a polícia, Thayla revelou o relacionamento extraconjugal e alegou que o marido não aceitaria a separação, por isso cometeu o crime.

“Mas entendemos que o motivo foi o dinheiro. Eles tinham bens, uma propriedade de 1,5 alqueire, lavoura de café e carro. Ao invés de separar e dividir os bens, ela resolveu matar o marido para ficar com tudo”, ressaltou o delegado.

Mulher deu abraço no marido antes do crime

Segundo apuração da polícia, a mulher teria colocado a filha para dormir e abriu a porta para o acusado entrar. Ele ficou escondido na despensa da cozinha. O marido estava deitado e decidiu ir à cozinha para beber água.

Nesse momento, segundo as investigações, a mulher teria dado um abraço no marido e com as mãos fez sinal para o lavrador, que saiu da despensa e agarrou a vítima por trás. Alexandre, que fazia uso de remédio controlado, nem teve condições de se defender.

“Concluímos que não havia mais ninguém envolvido. Foram os dois. Não teve assalto. Os bens furtados nunca saíram da casa deles. Estavam escondidos em um gesso. O carro foi abandonado perto de casa”, destacou o delegado.

Marcelo ressaltou que irá pedir a conversão de temporária para prisão preventiva, sem prazo estabelecido.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.