search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mulher adúltera em 'Éramos Seis', Mayana Neiva reflete sobre casamento

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Famosos

Mulher adúltera em 'Éramos Seis', Mayana Neiva reflete sobre casamento


Mayanna Neiva em "Éramos Seis" (Foto: João Miguel Júnior/Globo)
Mayanna Neiva em "Éramos Seis" (Foto: João Miguel Júnior/Globo)
Karine é fogosa e não está nem aí para as regras da sociedade em "Éramos Seis", trama das 18h da Globo. "Ela tem zero preocupação. Está ali para tocar o terror, para fazer o que quer", afirma Mayana Neiva, 36, intérprete da personagem.

"Para mim, isso faz dela meio à frente do tempo para os anos 1930, porque as mulheres daquela época eram muito contidas, repreendidas pela cultura. Já Karine tem uma coisa de sobrevivente mesmo", completa a atriz.

Depois de anos casada com o libanês Assad (Werner Schünemann), Karine resolve se entregar a uma paixão proibida e se relaciona com o mulherengo Alfredo (Nicolas Prattes). O filho de Lola (Gloria Pires), porém, demonstra não querer nada sério com ela.

"Alfredo quer é ir para o mundo [risos]. Acho que ela não esperava ser pega por esse sentimento. Ela estava muito no controle, e o Alfredo começa a descontrolá-la um pouco nesta reta final. Ela se apaixona mesmo por ele, e o fato de ele tê-la abandonado faz com que ela fique meio desestabilizada", avalia a atriz.

Ela diz ainda que desaprova traições, mas entende que a personagem, naquele momento, precisava de "uma fagulha de vida". "No caso de Assad e de Karine, acho que eles foram cada um para um lado e não se procuraram mais. Na narrativa, ela até procurou bastante por ele, mas o fato é que chegou em um momento em que a vida deles andava muito separada uma da outra."

Sem assumir nenhum romance publicamente desde que terminou seu relacionamento com o chef americano Rich Torrisi, há cerca de três anos, Neiva diz que casamento é uma coisa complexa. "Por ser um projeto de longo prazo, ele tem vários ciclos. É super importante ter confiança e ser ardente também, mas isso muda com o tempo."

"É importante a gente entender que existem ciclos, entender o que você precisa fazer a cada tempo para reativar esse amor, esse calor", completa Neiva, que depois da novela estreará o longa "O Silêncio da Chuva", dirigido por Daniel Filho, entre outros trabalhos.

Schünemann, 61, brinca com a situação de seu personagem e diz que escutou palavras de apoio do público. "O que podemos fazer? Contra chifre não se pode fazer nada (risos). O Assad mal percebe."

"Acho que a Karine fica fortalecida como personagem a partir do momento que ele fica fragilizado com essa situação. Isso acrescenta à personagem uma dúvida que é muito legal", diz o ator.
Tentando analisar as escolhas de Karine, Neiva ressalta que não concorda com as atitudes da personagem, mas que a diferença de idade entre o casal pode ter sido um dos motivos que atrapalharam a relação.

"Assad é muito voltado aos negócios. Não acho que Karine seja uma pistoleira, mas ela queria estar bem de vida. Aí passa um menino por ela e ela se encanta. Às vezes esse tipo de situação não tem nem um motivo", acrescenta Schünemann. "Essa coisa de se apaixonar por outra pessoa durante o casamento acontece. A gente só acha que não acontece com a gente (risos)", diz o ator.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados