search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Morte de animais em apartamento: moradora e os pais são ouvidos em CPI

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Morte de animais em apartamento: moradora e os pais são ouvidos em CPI


A moradora do apartamento no Centro de Vila Velha onde 11 animais foram encontrados mortos no começo de janeiro e os pais dela serão ouvidos na CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa na tarde desta quarta-feira (24). Os pais da jovem são proprietários de um abrigo para animais.

“Esse crime bárbaro teve ampla repercussão e chocou a sociedade capixaba. Onze animais, entre cães e gatos, estavam mortos e apenas cinco cachorros conseguiram sobreviver se alimentando da carcaça dos outros animais. Um crime bárbaro que não vamos deixar que fique impune”, destacou a deputada Janete de Sá, presidente da CPI.

Vizinhos do apartamento, guardas municipais e protetores de animais estarão presentes na reunião da CPI.

Quatro cachorros ainda foram encontrados vivos com sinais de desnutrição (Foto: Divulgação)Quatro cachorros ainda foram encontrados vivos com sinais de desnutrição (Foto: Divulgação)

Inquérito

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), concluiu o inquérito que investigou o crime de maus-tratos a animais. As investigações foram conduzidas em conjunto com a CPI.

As informações sobre o inquérito serão passadas no fim da tarde desta quarta. 

Entenda o caso

A Guarda Municipal e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vila Velha agiram em conjunto para resgatar os corpos sem vida e quatro cachorros vivos, com sinais de desnutrição.

Na época, o coordenador da Guarda Municipal de Vila Velha, do setor de Relações Públicas, Rusley Medeiros, disse que o órgão foi acionado por uma denúncia de vizinhos do prédio, informando que haveria um apartamento exalando cheiro forte e com larvas saindo da residência.

“Quando abrimos a porta, lidamos com uma situação completamente desoladora, eram muitas fezes e urinas”, contou Medeiros.

O coordenador da guarda informou que, pelos indícios, os animais morreram de fome e estariam se alimentando dos outros animais mortos.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados