search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Moraes manda bloquear contas de bolsonaristas no Twitter fora do país

Notícias

Publicidade | Anuncie

Política

Moraes manda bloquear contas de bolsonaristas no Twitter fora do país


 (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

As contas no Twitter de influenciadores, empresários e políticos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram tiradas do ar internacionalmente nesta quinta-feira (30).

Após decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, elas foram bloqueadas no Brasil na sexta-feira (24). No entanto, pouco depois os bolsonaristas e seus seguidores mudaram as configurações de localização para outros países e continuaram a publicar mensagens sem bloqueios.

A ativista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, líder de um grupo armado de extrema direita, por exemplo, xingou o ministro do STF no mesmo dia nas redes sociais. Ela chamou Moraes de "cabeça de piroca" e "ditador de merda" em sua conta bloqueada para o Brasil.

Nesta quinta (30), Giromini desabafou em nova conta: "Fui censurada no MUNDO! Ajudem a compartilhar essa mensagem: existem presos políticos e censurados no Brasil! Darei centenas de entrevistas na América Latina e Estados Unidos para denunciar tais abusos! DITADORES VÃO CAIR!"

Figuras como o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), o blogueiro Allan dos Santos e os empresários Luciano Hang (da Havan) e Edgard Corona (das academias Smart Fit), alvos de investigação no âmbito do inquérito das fake news, tiveram suas contas suspensas.

O inquérito das fake news investiga ameaças e disseminação de notícias falsas contra integrantes do STF nas redes sociais e representa um dos principais pontos de tensão entre o Palácio do Planalto e a corte.

Apesar de ter bloqueado as contas, o Twitter classificou a ordem como desproprocional e anunciou que recorrerá da decisão.

"O Twitter bloqueou as contas para atender a uma ordem judicial proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF). Embora não caiba ao Twitter defender a legalidade do conteúdo postado ou a conduta das pessoas impactadas pela referida ordem, a empresa considera a determinação desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil e, por isso, irá recorrer da decisão de bloqueio", escreveu a empresa em nota de sua assessoria de imprensa enviada à Folha de S.Paulo.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados