search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Moleza: Câmara trabalha só nove dias em dezembro
Cláudio Humberto
Cláudio Humberto

Cláudio Humberto


Moleza: Câmara trabalha só nove dias em dezembro

Parlamentares brasileiros têm ritmo próprio de “trabalho”, mas neste dezembro o ócio na Câmara dos Deputados alcançou a outro patamar. Serão apenas nove dias trabalhados oficialmente, incluindo ontem, quando menos de 10% dos deputados compareceram.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, convocou sessão para ontem e a próxima segunda (9), terças (3 e 10) e quartas (4 e 11). Haverá ainda três dias para a Comissão de Orçamento. Depois, somente em 2020.

Trabalho não falta
O problema é que, para além do orçamento, estão pendentes de votação na Câmara e no Senado inúmeras MPs e projetos importantes.

Senado idem
O ritmo dos senadores é o mesmo. Em vez de trabalhar, o presidente Davi Alcolumbre preferiu visitar a terra da Disney com dois colegas.

Moleza oficial
Judiciário e carreiras jurídicas têm 60 dias de “recesso”. Incluindo feriados e a reunião dos Brics, serão 83 dias de folga oficial em 2019.

Terror e pânico
A PEC da Reforma Administrativa não anda porque Judiciário e carreiras jurídicas não abrem mão da regalia de dois meses de férias.

Investigados querem disputar eleição no TJ-Bahia

Afastados do Tribunal de Justiça da Bahia no escândalo de venda de sentenças, investigado na Operação Faroeste, os desembargadores Maria da Graça Pimentel Leal e José Olegário Monção Caldas manobram para adiar a eleição de amanhã para substituir o atual presidente, também afastado. Ambos são candidatos. Os envolvidos na maracutaia, incluindo a ex-presidente do TJ-BA Maria do Socorro Santiago, agora presa, acham que tudo vai dar acabar em acarajé.

Pense num absurdo
Frase célebre do ex-governador Otavio Mangabeiras definiria bem a candidatura da dupla: “Pense num absurdo, na Bahia há precedente”.

Norma do CNJ
Resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determina que a eleição ocorra em até 60 dias antes da posse dos novos dirigentes.

Data é regimental
O fim dos 60 dias coincide com 4 de fevereiro de 2020, primeiro dia útil do mês, data regimental de posse da nova diretoria.

Direito de defesa
Futuro embaixador em Lisboa, Carlos Alberto Simas Magalhães deve designar um diplomata para estabelecer relações mínimas com a imprensa portuguesa, que publica mentiras sobre o Brasil com espantosa regularidade. Ao menos para tentar o direto de defesa.

Ameaça não mete medo
Se era sincera a ameaça, ninguém deu a mínima. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, prometeu cortar salário de deputado faltoso. Às 15h47 de ontem eram presentes só 41; às 18h12, míseros 49. Fiasco.

Assalto oficial
Só falta de vergonha explica cobrança de pedágio na estrada de chão, esburacada, com 50km de extensão em Carolina, no Maranhão “governado” pelo PCdoB. Caminhoneiro é assaltado em até 140 reais.

Lobby in natura
Representantes de empresas de energia foram convidados a falar hoje à Comissão do novo Código de Energia Elétrica. Palco armado só para quatro presidentes de associações de empresas.

Gervásio vive
O Conselho da Justiça Federal vai homenagear nesta quinta o grande repórter fotográfico Gervásio Raimundo, recém-falecido, por meio dos colegas Orlando Brito e Hermínio Oliveira.

Segurança no Uber
Audiência pública para discutir a segurança de motoristas de aplicativo será realizada hoje na Câmara Federal, por iniciativa do deputado Luiz Miranda (DEM-DF). Uber e 99Pop estarão representados.

Decisão ridícula
A Eletrobras foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar R$ 40 mil a sindicalistas do Rio por “danos morais coletivos”. Tudo porque o ex-presidente da estatal afirmou certa vez que a sociedade não pode pagar por “vagabundos” que não trabalham. E agora vai indenizá-los.

Pensando bem...
...ainda não deu as caras aquele rico escritório de advocacia de Minas Gerais para defender o sujeito que planejava atacar Bolsonaro, na última sexta, na sua chegada a Três Corações.

Poder sem pudor

Promessa de político

Jefferson Brant saiu de Uberlândia (MG) e, em Brasília, pediu um emprego ao primo Rondon Pacheco, líder do general Emílio Médici na Câmara. “Claro! É só esperar. Você será agente administrativo da Câmara”, prometeu o parente ilustre.

O tempo foi passando, e nada. O primo só dizia: “Vai sair”. E advertia: “Não fale para ninguém, guarde segredo”.

Certo dia um jornal informou que 20 mil candidatos disputavam as vagas para agente administrativo na Câmara. Jefferson jamais esquecerá a desculpa esfarrapada do primo: “Eu não disse para não falar a ninguém? Vazou.”

Colaboram: André Brito e Tiago Vasconcelos

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Cláudio Humberto

Fundão faz de 2020 a eleição mais cara da História

O Fundão Sem Vergonha de R$ 3,8 bilhões, aprovado na Comissão de Orçamento para bancar a campanha municipal, garantiu que as eleições 2020 sejam as mais caras da História. Em 2016, a primeira …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Bolsonaro se beneficiou de “laranjas”, acusa Bivar

O presidente nacional do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), que ontem comandou a suspensão de 14 deputados e a advertência de outros quatro, afirmou que, se houve beneficiado pelas “candidaturas …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Casa Civil sequer ajuda na articulação política

A Casa Civil não ajuda nada na articulação para aprovar projetos importantes, como a Medida Provisória da Liberdade Econômica ou a reforma da Previdência, segundo se queixam integrantes do time de …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Alcolumbre usa gaveta para prejudicar diplomacia

No exterior, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, adora o tapete vermelho dos diplomatas brasileiros, mas no Brasil ele os trata como inimigos, impedindo a tramitação de indicações de embaixadore…


Exclusivo
Cláudio Humberto

Reunião mostrou armação para “melar” proposta

Parlamentares que estiveram na fracassada reunião de ontem na residência oficial do Senado saíram com a certeza de que os presidentes das duas casas não estavam interessados em negociar acordo para …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Brasil pode ter mais de 100 partidos em 2020

O imbróglio envolvendo o uso de meios eletrônicos para validar o apoio à criação de partidos políticos pode facilitar a conclusão dos 76 pedidos de criação atualmente em tramitação no Tribunal …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Aliança pode ser criado por aplicativo de celular

Aplicativo de celular é uma das estratégias para criação do Aliança, partido do presidente Jair Bolsonaro, a tempo de disputar as eleições de 2020, segundo confirmou seu secretário-geral e ex-ministr…


Exclusivo
Cláudio Humberto

Polícia Federal na Aneel pode inspirar devassa nas agências

A operação da Polícia Federal contra a venda de decisões na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pode se ampliar a outras resoluções suspeitas e até às demais agência reguladoras, sempre em …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Ex-presidente do Supremo inspirou PEC da 2ª instância

A PEC 199, aprovada com goleada, ontem, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara, foi inspirada em proposta apresentada há dez anos pelo ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Armadilha virtual entregaria os acessos de Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, recuou da decisão de obter dados sigilosos de quase 600 mil pessoas após ser posto em “saia justa” pelo Banco Central. A …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados