search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Marco Luque: "Precisamos nos colocar mais no lugar do outro”

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Entretenimento

Marco Luque: "Precisamos nos colocar mais no lugar do outro”


Marco Luque: "Minha maior preocupação é com a questão de empatia. As pessoas estão cada vez menos pensando no coletivo" (Foto: Divulgação/Pedro Dimitrow)
Marco Luque: "Minha maior preocupação é com a questão de empatia. As pessoas estão cada vez menos pensando no coletivo" (Foto: Divulgação/Pedro Dimitrow)

Há quase cinco meses, desafios, solidão e medos fazem parte da construção do dito “novo mundo”. Como será o amanhã? Sairemos mais fortes?

Dúvidas como essas acompanham até mesmo quem tem o humor à flor da pele, como é o caso do ator, dublador e humorista Marco Luque, de 46 anos.

“Minha maior preocupação é com a questão de empatia. As pessoas estão cada vez menos pensando no coletivo. Precisamos nos colocar mais no lugar do outro e colaborar como podemos para isso tudo passar em breve. Quem puder estar em casa fique. Se tiver que sair, se proteja e ajude a proteger o outro também”, manda o recado, em entrevista ao AT2.

Luque, que é formado em Artes Plásticas e tem aproveitado o período de isolamento social para ensinar mais sobre esse universo para suas filhas, Isadora, 9 anos, e Mel, 7. “Temos feito muitas esculturas e pinturas”, afirma.

Momentos de reflexão também já fizeram parte dos dias do humorista, que, como bom ex-jogador de futebol, matou no peito e seguiu em frente. E ainda deixa a dica para a rapaziada.

“Como em tudo na minha vida, procuro sempre levar com leveza. Tenho mantido isso durante o isolamento social e ocupando a mente com projetos, cuidados comigo, aproveitando a companhia das minhas filhas. Assim, tenho conseguido viver em equilíbrio”, frisa.

Como a maioria dos artistas, o ator e humorista tem participado de lives e explorado mais o mundo virtual. “Na verdade, retomar com o meu canal no YouTube já era um plano que eu tinha para 2020. Aproveitei a quarentena para dar continuidade ao projeto, levando conteúdo e me conectando com meus fãs. A experiência tem sido bem legal. Acho importante estarmos sempre nos reinventando, testando coisas novas”, ressalta.

E, por falar em reinvenção, novos personagens estão entre as boas-novas de Luque. Acabam de chegar para a família o marombeiro Betoneira, o Guito, que é massoterapeuta; além do IvanXamã, um ser iluminado.


Marco Luque | Humorista
“Sinto falta do público, de sentir a energia das risadas”


AT2: Está sentindo falta de aglomeração?
Marco Luque: Sem dúvida! Sinto falta do contato com o público, de sentir a energia das risadas. Estava me preparando para levar meu show solo “Todos Por Um” para uma turnê.

Na quarentena, reativou seu YouTube, trazendo novos personagens. Conta sobre eles?
Eu já estava com vontade de trazer mais diversidade de conteúdo para o canal. Aproveitei o isolamento e a pausa nos shows para me dedicar a isso. O Betoneira, já levei algumas vezes para o “Altas Horas”.

Tem outros, não?
Existem outros dois personagens que estou desenvolvendo. O Guito é um professor e massoterapeuta que leva seus conhecimentos para quem está por perto, de um jeitinho bem peculiar.

Já o Ivan é um ser iluminado, que pratica rituais de xamanismo para acessar outras dimensões e se conectar com outros universos e seus ancestrais. Mas o foco não é uma característica dele. (Risos)

O objetivo desse projeto é realmente debater, com humor, sobre os efeitos e cuidados neste período de pandemia?
Sim. Acho importante levar o humor e poder abordar temas pautados na nossa saúde, de forma descontraída. Não só para alertar, mas para tranquilizar as pessoas.

Está tranquilo?
Tem sido um período bem reflexivo. Muitas vezes, por conta da correria, não tinha esse momento. Estou reequilibrando minhas energias e procurando evoluir.

Seu personagem Guito trabalha mais com reconexão. Qual a dica dele para quem está mais impaciente?
As pessoas devem descobrir seus universos interiores e buscar evolução. Só assim viveremos em um mundo melhor, mais humano, com mais amor.

Vem mais novidade aí?
Sim! Acabamos de estrear no streaming a versão podcast da “Escolinha do Professor Raimundo”, onde interpreto o Patropi.

Além disso, venho trabalhando em um longa que contará a história do Jackson Faive, um dos meus personagens mais famosos.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados