search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mãos ressecadas com uso de álcool em gel
AT em Família

Mãos ressecadas com uso de álcool em gel

O uso diário de álcool em gel nas mãos provoca ressecamento, vermelhidão e até lesões (Foto: Jcomp/Freepik)
O uso diário de álcool em gel nas mãos provoca ressecamento, vermelhidão e até lesões (Foto: Jcomp/Freepik)

Neste momento de pandemia do novo coronavírus (Covid-19) os cuidados com a higiene das mãos foram redobrados, afinal, elas podem transportar o vírus até a boca, nariz e olhos, e facilitar a contaminação.

A rotina de lavagem das mãos com sabonete, o uso do álcool em gel e o contato com produtos de limpeza para higienizar roupas e alimentos, porém, removem a hidratação e oleosidade natural das mãos, deixando-as mais ressecadas e, em muitos casos, até feridas.

Para evitar que elas fiquem assim, algumas medidas podem ser adotadas no dia a dia como o uso de luvas para manusear produtos de limpeza e de hidratantes específicos para devolver a hidratação das mãos.

Segundo a dermatologista Irene Baldi, para não causar irritações nas mãos, a orientação é utilizar uma pequena quantidade de álcool em gel e evitar que fique acumulado em anéis e pulseiras. Outra opção é usar o produto em forma de creme ou com glicerina na composição.

“O uso de produtos para higienizar as mãos pode prejudicar a pele, causando ressecamento, eczema (lesão) e vermelhidão. Para evitar isso, o ideal é lavar as mãos e hidratá-las. Também recomendamos deixar o álcool em gel para quando não é possível utilizar água e sabão ou ainda em situações especiais, como em ambientes hospitalares”, orientou.

A médica reforçou que quem utiliza o álcool em gel deve esperar 15 minutos para absorção do produto e, em seguida, passar um hidratante nas mãos.

A dermatologista Ana Flávia Moll ponderou que, neste período, os melhores hidratantes para as mãos são os que contêm na fórmula ureia, vitamina E, óleo de semente de uva e ceramidas, que também melhoram a barreira da pele e impedem a perda de água,

Além disso, a barreira da pele é um mecanismo de defesa do organismo, que não permite a penetração de agentes externos na nossa pele, retendo substâncias nocivas e impedindo assim infecções e irritações.

“A minha recomendação é usar o hidratante antes de dormir. Se quiser potencializar ainda mais os efeitos dos componentes, é só passar o produto, usar luvas e ir dormir”, ensinou.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados