search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Luto coletivo em tempos de pandemia do novo coronavírus
Tribuna Livre

Luto coletivo em tempos de pandemia do novo coronavírus

Estamos vivendo dias difíceis. Dias de tristeza e de perdas diversas: saúde, liberdade de ir e vir - por conta do isolamento social necessariamente imposto - trabalho, realização de planos diversos, contato com parentes e amigos e, infelizmente, de vidas, muitas vidas.

Algumas delas de pessoas próximas e, a maioria, de pessoas desconhecidas, que deixam filhos, pais, companheiros e sonhos. A pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19) tem trazido mudanças de comportamento social. Já não nos cumprimentamos como antes. Estamos reféns de um inimigo invisível, o que gera angústia e ansiedade.

Não vemos o vírus, porém precisamos nos defender dele constantemente. Isso nos fragiliza emocionalmente. Afinal, se aconteceu com tanta gente, por que não vai acontecer comigo ou com algum familiar?

A perda das certezas nos deixa inseguros, o que pode levar a um luto antecipado, já que o futuro passa a ser uma incógnita, e não sabemos quando essa situação vai acabar.

Na verdade, nunca fomos donos de quaisquer certezas, mas nos amparávamos em um senso geral de presunção de segurança.

Todas essas perdas levam a uma condição de luto generalizado e, ao mesmo tempo, específico. Luto que precisa ser vivido em suas singularidades, para que as perdas sejam simbolizadas e possamos ressignificar os sentimentos e seguir em frente.

Mas como enfrentar esse luto em um momento de imperativo afastamento social? Exatamente quando a pessoa enlutada mais precisa dos familiares e dos amigos próximos, como rede de apoio, esse apoio é dificultado.

Alguns estão vivendo uma crise (a perda de alguém) dentro de outra crise (pandemia Covid-19). Assim como o vírus, invisível aos nossos olhos, a morte tem ocorrido longe dos familiares, e cerimônias de despedida não podem seguir os rituais de antes.

Os abraços, outrora tão comuns nos velórios, não mais são permitidos, assim como está limitada a presença de alguns poucos familiares nos velórios, diferentes em diversas culturas.

Alguns realizam orações, outros discursos de agradecimento. Há quem cante e, em alguns países, as pessoas fazem festa. São rituais que marcam a partida e, ao mesmo tempo, trazem a lembrança da morte aos que ficam.

Em situações de luto, as pessoas podem sentir dores insuportáveis, apresentar sentimentos ambíguos como raiva, injustiça, solidão, impotência, tristeza e desesperança, assim como sintomas de ansiedade, alterações no sono e apetite.

A duração do luto varia de pessoa para pessoa e pode estar relacionada ao tipo de morte: se foi por doença crônica ou algo inesperado, um acidente.

Para amenizar o sofrimento das pessoas enlutadas, alguns lançam mão de velórios e cerimônias religiosas virtuais, para que as famílias e amigos possam se despedir da pessoa querida.

Afinal, como diria o psiquiatra e escritor britânico Collin M. Parkes, autor de vários livros sobre o tema: “O luto é o preço do amor”.

Maria Benedita Reis é médica psiquiatra e psicogeriatra.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Exclusivo
Tribuna Livre

A modernização dos cartórios em tempos de Covid-19

Mesmo antes da pandemia, o sistema cartorário já tinha migrado diversos serviços para serem solicitados e feitos através das centrais online. Durante o período da quarentena, essas centrais se …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados