search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Lojistas tentam negociar pagamento de aluguel

Notícias

Economia

Lojistas tentam negociar pagamento de aluguel


César Saad Junior, presidente da Associação Comercial da Praia do Canto, em Vitória (Foto: Beto Morais/AT)
César Saad Junior, presidente da Associação Comercial da Praia do Canto, em Vitória (Foto: Beto Morais/AT)

Sem faturar e com as lojas fechadas em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), lojistas têm tentado negociar com as imobiliárias e donos de imóveis os valores dos aluguéis. Os comerciantes têm pedido a redução em 30% a 40% e adiamento dos vencimentos.

Segundo o diretor-executivo da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da Serra e de Cariacica, Samuel Vale, as entidades estão intermediando conversas entre os lojistas e os donos do imóveis, para que haja a redução ou o adiamento nos vencimentos.

O diretor contou que algumas lojas já renegociaram os valores e conseguiram adiar os vencimentos. Samuel não especificou um número de negócios fechados, mas disse que os pleitos estão sendo negociados caso a caso, já que cada loja tem uma necessidade específica.

“É preciso fazer uma discussão de cada caso, porque ninguém quer dar prejuízo para dono de imóvel. Tem gente que já pagou o mês de março, e não vai ter problema. Tem loja que pode ter 80% de redução do aluguel e outras menos. Vai depender de cada ponto”, explicou o diretor-executivo.

Já o presidente da CDL Vitória, Estanislau Ventorim, destacou a delicadeza da situação, mas afirmou que o histórico entre locadores e locatários pode ajudar no diálogo no tempo certo.

“O proprietário não vai querer perder um bom inquilino, e quem tem histórico de pagamento pontual terá mais facilidade para negociar. Cada um vai saber o momento e a forma certa de fazer essa negociação”, afirmou Ventorim.

O diretor da Federação do Comércio do Estado (Fecomércio-ES), José Carlos Bergamin, explicou que há negociações de lojas de rua que pedem um abatimento de 30% a 40% no valor dos aluguéis.

Em nota, a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES) ressaltou que está acompanhando os desdobramentos da pandemia da Covid-19, mas não explicitou como estão as negociações entre as empresas do setor e os lojistas.


Esperança de que situação será resolvida

Em meio à inédita situação causada pelo coronavírus, o empresário César Saad Junior, presidente da Associação Comercial da Praia do Canto, em Vitória, afirmou esperar que estímulos sejam realizados para reaquecer a economia, de forma a permitir que os lojistas consigam retomar seu trabalho.

“É uma situação muito difícil, que só será resolvida após um grande entendimento entre os agentes econômicos. Quando a pandemia acabar, será a hora de arregaçar as mangas e retomar o curso normal da vida econômica”, afirmou o empresário.

Sobre a incerteza com relação ao pagamento dos aluguéis dos pontos dos lojistas, Saad afirmou ter esperança de que a situação será resolvida a partir de bom senso das partes.


Shoppings analisam o caso

O fechamento temporário de praticamente todos os shoppings do País devido à pandemia do coronavírus levantou hipóteses sobre a possibilidade de isenção no pagamento de aluguel das lojas. A medida chegou a ser anunciada, através de nota, pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).

A nota informou que, no mês de março, o aluguel seria cobrado parcialmente, e nos meses seguintes não haveria cobrança de aluguel das lojas enquanto os shoppings estivessem fechados.

Entretanto, a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) esclareceu em comunicado que a cobrança de aluguel dos lojistas será apenas adiada.

No comunicado, assinado pelo presidente da Abrasce, Glauco Humai, a associação destacou entender que deve priorizar e responder as demandas e necesssidades dos lojistas de acordo com o desenvolvimento do cenário, em uma análise diária, e citou que qualquer ação de longo prazo tomada seria mal dimensionada pela falta de informações necessárias.

“O aluguel, enquanto o período de fechamento permanecer, fica suspenso, mantendo-se a exigibilidade do aluguel para uma posterior definição sobre o assunto”, informou a nota da Abrasce.

Procuradas, as assessorias de comunicação de shoppings da Grande Vitória ou não retornaram contato ou optaram por não se posicionar oficialmente a respeito.


Opiniões

"Do ponto de vista das lojas de rua, há sempre uma relação mais íntima entre locatário e locador. As negociações serão melhores”, José Carlos Bergamin, diretor da Fecomércio-ES.

"Os lojistas estão à própria sorte no diz respeito aos aluguéis. O sindicato concorda que tem que ser feita uma negociação”, Rodrigo Rocha, presidente Sindicomerciários-ES.


Análise: “Devem entrar num entendimento”

Advogado especialista em direito imobiliário, Diovano Rosetti. (Foto: Leone Iglesias)
Advogado especialista em direito imobiliário, Diovano Rosetti. (Foto: Leone Iglesias)
“Locador e locatário devem ter tolerância. O primeiro deve, dentro do possível, isentar o locatário de multa, juros e, se houver inadimplência, verificar se o locatário está com dificuldade em pagar o aluguel. Na maioria dos contratos, o locatário também tem a obrigação de pagar o IPTU, e, nesse ponto, o locador deve buscar uma solução, pois pode sofrer com as consequências do não pagamento do imposto. Outro cuidado que o locador deve ter é o de monitorar o pagamento do condomínio do imóvel alugado. No geral e principalmente na locação comercial, locador e locatário devem entrar num entendimento, pois, com lojas fechadas, não há circulação de dinheiro e consequentemente pode haver atraso de aluguel e até o fechamento do estabelecimento”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados