search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

"Lady Gaga amou", diz DJ Bruno Martini sobre remix feito a pedido da cantora

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Para Ouvir

"Lady Gaga amou", diz DJ Bruno Martini sobre remix feito a pedido da cantora


Lady Gaga (Foto: Reprodução/ Instagram da Lady Gaga)Lady Gaga (Foto: Reprodução/ Instagram da Lady Gaga)

Imagine estar na sua casa e receber um email dizendo que Lady Gaga, 34, quer trabalhar com você. Não só isso, ela quer que você dê o seu toque pessoal a um dos mais recentes sucessos dela. Foi o que aconteceu com o DJ e produtor musical Bruno Martini, 28.

O paulistano, que em 2021 deve lançar seu álbum de estreia, foi um dos escolhidos para remixar a faixa "911", que faz parte do álbum "Chromatica" e teve um clipe -lançado em setembro- muito elogiado pela crítica. Além dele, também fazem novas versões da música o duo americano Sofi Tukker e o britânico Weiss, todos nomes conhecidos da cena eletrônica.

"Chegou um email para mim com um pedido do time da Lady Gaga", detalhou Martini à reportagem. Como ambos têm a mesma gravadora, a Universal Music, a equipe americana fez o contato pedindo a nova versão da faixa. "Eles falaram: 'Vamos tentar fazer, não é nada muito certo, mas você quer?'. Quem é que não quer ter alguma música com a Lady Gaga, né?"

"Eu vibrei, essa foi a primeira reação", admitiu. "Foi uma oportunidade muito grande e muito bonita que ela deu para mim. Aliás, não só para mim, acho muito legal para todos ter um brasileiro trabalhando com ela."

Martini trabalhou a faixa para deixá-la ainda mais dançante. "Tentei fazer uma versão um pouco mais acelerada, trazer um pouco mais para música eletrônica, mais para as pistas mesmo", avaliou. "A Gaga sempre está inovando, procurando coisas diferente, ela é uma artista de referência. Então eu tentei fazer também fazer algo que tem a ver com a minha veia, acho que deixei a música um pouco mais dark."

E deu certo. A cantora aprovou a versão, que foi lançada nesta sexta-feira (4). "Como trabalho com isso há muito tempo, procuro não criar muita expectativa das coisas", contou. "Mas graças a Deus ela mandou um e-mail falando: 'Nossa, amei a versão, vamos lançar!'. Aí a gente comemorou bastante."

Apesar de não ter tido um contato maior com a cantora, ele foi só elogios para a americana. "Foi tudo muito profissional, como se espera de alguém do nível da Gaga", afirmou.

O música sabe que mexer no trabalho de outra pessoa é algo bem delicado. "É uma responsabilidade muito grande a gente pegar uma música de outro artista, ainda mais tão conhecida quanto a Lady Gaga", afirmou.

"Eu componho a maioria das minhas músicas e sei como é difícil. Às vezes você escuta umas versões que acabam não sendo fiéis à música."

Porém, ele avaliou que só tinha ganhar com a parceria. "Sou o único artista brasileiro a fazer uma versão da Lady Gaga, é a pressão, mas ao mesmo tempo é muito gratificante ter aprovação dela, já significa muito para mim", garantiu.

Martini não vê a hora de a pandemia passar para poder tocar a versão em seus shows. "Infelizmente no Brasil [essa questão] mistura política no meio, então a gente nunca sabe o que vai acontecer", lamentou. "A galera toda que trabalha com eventos e da indústria fonográfica está sofrendo muito com isso. A situação está realmente desesperadora, você até consegue se manter um pouco sem os shows, mas chegamos num ponto em que está todo mundo precisando trabalhar."

O músico fala com conhecimento de causa. "Eu e meu pai pegamos Covid-19", contou, garantindo que ambos estão bem após seguirem as indicações médicas. "Eu tive febre, muito cansaço e um pouco de pneumonia, mas foi leve. É uma doença estranha. A gente nunca sabe como vai reagir no nosso corpo."

Ele, aliás, se considera sortudo por ter um estúdio que fica muito próximo de casa. "É uma casa a três quarteirões da minha casa, não vai ninguém lá, então tive a oportunidade de ficar bastante tempo finalizando o meu álbum", comemorou. O lançamento foi adiado para o ano que vem justamente por causa da pandemia.

"Tem participações muito inusitadas, tem participações de brasileiro, de grandes artistas nacionais, fiz umas misturas com os artistas internacionais também, como a parceria com o Timbaland e com a Iza", antecipou. "Você vai ouvir artistas brasileiros de uma forma diferente, inclusive o Bruno Martini."

O DJ e produtor musical estourou com as músicas "Hear Me Now" e "Let Me Go", ambas em parceria com Alok e Zeeba, mas sempre esteve ligado à música. Filho de Gino Martini, integrante do Double You, ele também participou da College 11, com Mayra Arduini, que foi contratado pela Disney.

Após participar de programas como "Violetta" e "Quando o Sino Toca", a dupla chegou a protagonizar a série "Que Talento!" (2014-2016) com Gabriel Calamari no Disney Channel. O artista disse que segue aberto a trabalhar como ator se surgir uma oportunidade bacana.

"Sempre fui exposto a muita música, então acaba sendo natural, quero fazer música independente de qualquer coisa", garantiu. "Mas a Disney dizem me deu toda a estrutura para que eu pudesse aprender a atuar, fazer curso de tudo, então eu peguei muito gosto. Adoraria voltar a atuar, quem sabe no futuro."

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados