search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Julgamento do caso Milena Gottardi pode durar uma semana

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Julgamento do caso Milena Gottardi pode durar uma semana


Hilário Frasson é acusado de ser o mandante da morte da médica Milena Gottardi (Foto: Arquivo A Tribuna)
Hilário Frasson é acusado de ser o mandante da morte da médica Milena Gottardi (Foto: Arquivo A Tribuna)

Marcado para o próximo dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o julgamento dos acusados de assassinar a médica Milena Gottardi, em setembro de 2017, está previsto para durar cerca de uma semana. A previsão é do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES).

Seis pessoas serão julgadas pelo júri popular, entre elas o ex-marido de Milena, o policial civil Hilário Antônio Fiorot Frasson, e o ex-sogro Esperidião Carlos Frasson, pai de Hilário, ambos apontados como mandantes.

Além do ex-marido e do ex-sogro, também serão julgados Valcir da Silva Dias e Hermenegildo Palauro Filho, vulgo “Judinho”, acusados de serem intermediários do crime, e Dionathas Alves Vieira e Bruno Rodrigues Broetto, apontados como executores.

O julgamento vai acontecer no Fórum Criminal José Mathias de Almeida Netto, no Centro de Vitória, sob a presidência do juiz da 1ª Vara Criminal de Vitória, Marcos Pereira Sanches.

O crime aconteceu no dia 14 de setembro de 2017, Milena foi baleada com um tiro na cabeça, no estacionamento do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), em Vitória, onde trabalhava. Ela estava acompanhada de uma amiga quando foi surpreendida por um homem que simulou um assalto.

A médica chegou a ser levada para o hospital, mas a morte foi declarada no dia seguinte. Após investigações, a polícia descobriu que o crime havia sido simulado para parecer um assalto, mas que teria ocorrido a mando de Hilário, de quem Milena estava em processo de separação.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados