X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

UE: CDU e CSU vencem eleições do Parlamento Europeu na Alemanha, segundo pesquisas preliminares


Os conservadores (CDU e CSU), atuando como principal força de oposição na Alemanha, alcançaram 30% dos votos nas eleições para o Parlamento Europeu, ganhando o pleito na Alemanha, segundo projeções das emissoras ARD e ZDF.

CDU e CSU conseguiram manter o mesmo nível de apoio de 2019, superando os resultados das últimas eleições nacionais, ultrapassando ainda o partido Social-Democrata, do chanceler Olaf Scholz, que registrou 14% dos votos, um declínio em relação aos 15,8% de 2019 e bem abaixo do resultado nas eleições nacionais de 2021.

A Alternativa para a Alemanha (AfD), partido de extrema-direita, obteve pouco mais de 16% dos votos, um aumento em relação aos 11% de 2019, apesar de enfrentar contratempos e escândalos envolvendo seus principais candidatos. Os Verdes, parte da coalizão de Scholz, viram seu apoio cair para cerca de 12%, e votos dos Democratas Livres, outro membro da coalizão, foram estimados em 5%.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia e integrante da União Democrata-Cristã, manifestou contentamento com o resultado obtido pelo bloco, enquanto Kevin Kühnert, dos Social-Democratas, reconheceu a derrota e prometeu recuperação. Alice Weidel, da AfD, destacou o sucesso do partido como reflexo do crescente ceticismo em relação à Europa. O governo de Scholz, que propôs modernizar a Alemanha, enfrentou críticas por desacordos internos e dificuldades econômicas.

Durante a campanha, houve disputas na coalizão sobre o orçamento de 2025, em meio a regras rígidas sobre endividamento. Friedrich Merz, da CDU, descreveu os resultados como "desastrosos" para a coalizão governante, interpretando-os como um aviso antes das eleições nacionais de 2025. A Alemanha detém o maior número de assentos no Parlamento Europeu, com 96 de 720. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: