X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Trump adere ao TikTok, plataforma que queria proibir quando presidente dos EUA


Donald Trump aderiu ao TikTok para compartilhar vídeos - o popular aplicativo que ele mesmo tentou banir nos Estados Unidos quando era presidente. O vídeo do ex-presidente dos EUA foi publicado neste domingo, 2, três dias depois de o ex-presidente ser declarado culpado por delitos graves pela Justiça.

"É uma honra", diz Trump no vídeo, que inclui imagens de saudação e poses em forma de selfies na noite do sábado.

Neste domingo, pela manhã, Trump já acumulava mais de 1,1 milhão de seguidores na plataforma, com a publicação somando mais de 24 milhões de visualizações.

"Não deixaremos nenhuma frente indefesa e representaremos o debate contínuo para um público mais jovem que consome conteúdo pró-Trump e anti-Biden", disse o porta-voz de Trump, Steven Cheung, em comunicado sobre a decisão da campanha pela plataforma.

De propriedade da ByteDance, com sede em Pequim, o TikTok é outra oportunidade para angariar votos em potencial.

A plataforma chega a 170 milhões de usuários nos Estados Unidos, jovens na sua maioria, um grupo demográfico especialmente difícil de chegar às campanhas porque não vê televisão. Fonte: Associated Press

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: