X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Tribunal concorda em suspender sentença de US$ 454 mi de Trump, se ele adiantar US$ 175 mi


Um tribunal de recurso de Nova York concordou nesta segunda-feira, 25, em adiar a cobrança da sentença de fraude civil de mais de US$ 454 milhões do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump - se ele depositar US$ 175 milhões no prazo de 10 dias.

Se o pagamento dos US$ 175 milhões for feito, irá parar o tempo de cobrança e impedirá que o Estado confisque os bens de Trump enquanto ele recorre da sentença.

O tribunal de apelações também reverteu outros aspectos da decisão de um juiz que proibia Trump e seus filhos Eric Trump e Donald Trump Jr. de atuarem na liderança corporativa por vários anos.

Ao todo, a ordem foi uma vitória significativa para o ex-presidente enquanto ele defende o império do setor imobiliário que o lançou na vida pública.

Trump, que participava numa audiência separada no seu caso criminal por ocultar o dinheiro em Nova York, publicou na sua plataforma Truth Social que iria disponibilizar títulos, valores mobiliários ou dinheiro para cobrir a soma de US$ 175 milhões.

O gabinete da procuradora-geral de Nova York, Letitia James, entretanto, observou que o julgamento ainda é válido, enquanto a cobrança está suspensa.

"Donald Trump ainda enfrenta a responsabilização pela sua fraude surpreendente. O tribunal já concluiu que ele se envolveu em anos de fraude para inflar falsamente o seu patrimônio líquido e enriquecer injustamente a si próprio, à sua família e à sua organização", afirmou o gabinete num comunicado.

Os advogados de Trump pediram que um tribunal estadual de apelações suspendesse a cobrança, alegando que era "uma impossibilidade prática" conseguir uma quantia tão grande, que cresce a cada dia por causa dos juros.

A decisão foi emitida pelo tribunal intermediário de apelações do Estado, a Divisão de Apelação do tribunal de primeira instância do Estado, onde Trump luta para anular a conclusão de um juiz, em 16 de fevereiro, de que ele mentiu sobre sua riqueza enquanto construía o império imobiliário que o lançou ao estrelato e à presidência.

A apreensão de bens é uma opção legal comum quando alguém não tem dinheiro para pagar uma multa judicial civil. No caso de Trump, os alvos potenciais poderiam incluir propriedades como a sua cobertura Trump Tower, aviões, edifícios de escritórios em Wall Street ou campos de golfe. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: