X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

No Japão, taxa de natalidade atinge mínima recorde em 2023, com queda também nos matrimônios


A taxa de natalidade no Japão atingiu mínima recorde pelo oitavo ano consecutivo em 2023, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 5, pelo Ministério da Saúde. Uma autoridade descreveu o quadro como crítico e pediu um esforço oficial para reverter a tendência.

Segundo as estatísticas mais recentes, a taxa de fertilidade japonesa ficou em 1,2 no ano passado. Os 727.277 bebês nascidos no país em 2023 representam uma queda de 5,6% ante o ano anterior, o nível mais fraco desde o início da série histórica, em 1899.

Outros dados mostram que o número de casamentos caiu 6%, a 474.717, no ano passado, o que segundo autoridades é uma razão crucial para o recuo da taxa de natalidade. Na sociedade predominantemente tradicional japonesa, nascimentos fora do matrimônio são raros, com grande peso para valores familiares.

Secretário-chefe do gabinete, Yoshimasa Hayashi disse a repórteres que a situação é "crítica" e disse que os próximos seis anos, até 2030, serão "a última chance para possivelmente reverter a tendência".

Hayashi disse que a instabilidade econômica, dificuldades de equilibrar o trabalho e a criação dos filhos e outros fatores complexos são as razões principais pelas quais os jovens têm dificuldade em decidir casar ou ter filhos.

O Parlamento japonês aprovou também nesta quarta-feira uma revisão em leis para elevar o apoio financeiro a pais com crianças ou para aqueles que esperam bebês, bem como para ampliar o acesso a serviços de cuidado para as crianças e expandir benefícios da licença para os pais.

O governo destinou 5,3 trilhões de ienes (US$ 34 bilhões) do orçamento de 2024 para essa finalidade e deve destinar 3,6 trilhões de ienes (US$ 23 bilhões) em receita tributária anualmente ao longo dos próximos três anos.

Especialistas dizem que as medidas são em grande medida voltadas a casais que planejam ou já têm filhos, mas não lidam com o crescente número de jovens relutantes em casar.

A população japonesa, de mais de 125 milhões, deve recuar cerca de 30%, a 87 milhões, até 2070, com quatro em cada dez pessoas com 65 anos ou mais. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: