X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Navalni é velado com a presença de apoiadores, após dias de impasses


O opositor russo Alexei Navalni, que morreu em 16 de fevereiro na prisão, foi velado na Igreja do Ícone da Mãe de Deus Acalma Minhas Dores, em Moscou, na Rússia, na manhã desta sexta-feira, 1º, após dias de impasse na devolução do corpo à família. Sob forte presença policial, milhares de apoiadores do ativista se reuniram nas imediações da igreja para homenageá-lo.

O funeral ocorreu após uma batalha com as autoridades sobre a libertação do corpo do mais feroz crítico do presidente Vladimir Putin. Seus apoiadores disseram que autoridades exerceram pressão sobre o local onde seria realizado o sepultamento e que várias igrejas em Moscou se recusaram a realizar o culto antes que a equipe de Navalni obtivesse permissão desta no distrito de Maryino.

Depois que o carro funerário chegou à igreja, o caixão pôde ser visto em imagens transmitidas ao vivo sendo retirado do veículo, enquanto a multidão aplaudia e gritava: "Navalni! Navalni!". A igreja precisou ser cercada por barreiras de controle de multidão. Horas antes do início do funeral, centenas de pessoas já esperavam para entrar no centro religioso.

Uma foto de dentro da igreja mostrava um caixão aberto com o corpo de Navalni coberto de flores vermelhas e brancas, e sua mãe sentada ao lado segurando uma vela. O pai de Navalni também esteve presente, mas não ficou claro quem mais de sua família compareceu.

"O amor é mais poderoso que o medo"

Diplomatas ocidentais foram vistos na longa fila, juntamente com Boris Nadezhdin e Yekaterina Duntsova. Ambos queriam concorrer contra Putin nas próximas eleições presidenciais e opuseram-se à guerra na Ucrânia. Nenhum dos dois foi permitido na votação.

O velório durou pouco mais de meia hora, sem que os milhares de apoiadores do opositor pudessem entrar para prestar suas homenagens. O caixão com seu corpo foi transferido para o cemitério de Borisovo, onde a polícia também apareceu em força. Multidões da igreja marcharam até lá após o término do funeral, gritando: "Não à guerra" e "O amor é mais poderoso que o medo".

Funerárias se recusaram a transladar corpo

A equipe do opositor russo denunciou na quinta-feira, 29, que serviços funerários se recusam a transportar o corpo do opositor para a igreja do velório nessa sexta-feira. "É uma vergonha. Os motoristas do carro funerário agora se recusam a levar Alexei [ao funeral] do necrotério", lamentou Ivan Khdanov, um de seus colaboradores, no Telegram.

"Primeiro, não fomos autorizados a alugar uma sala funerária para nos despedirmos de Alexei. Agora, quando o velório está marcado na igreja, os agentes funerários nos informam que nenhum carro funerário levará o corpo para lá", confirmou sua equipe nas redes sociais.

Os funcionários "recebem ligações de pessoas desconhecidas que as ameaçam para não levar o corpo de Alexei a lugar nenhum!", afirmou a equipe.

A mãe de Navalni, Liudmila Navalnaya, passou oito dias tentando fazer com que as autoridades liberassem o corpo após sua morte em 16 de fevereiro na Colônia Penal nº 3, na cidade de Kharp, na região de Yamalo-Nenets, cerca de 1,9 mil quilômetros a nordeste de Moscou.

Liudmila e outras pessoas próximas a Navalni relataram que foram pressionados pelo governo de Putin a fazer um velório secreto. As autoridades russas ainda não anunciaram a causa da morte do ativista, que tinha 47 anos.

Navalni estava preso desde janeiro de 2021 , quando regressou a Moscou para enfrentar prisão certa depois de se recuperar na Alemanha de um envenenamento por agente nervoso que atribuiu ao Kremlin.

Kremlin alertou contra manifestações

Milhares de russos participaram do funeral do líder opositor, apesar das rigorosas medidas policiais e dos avisos das autoridades sobre as consequências da participação em atos não autorizados. O Kremlin alertou afirmou sexta-feira que seriam punidos todos aqueles que participassem de manifestações não autorizadas durante o funeral do líder opositor.

"Queremos lembrar que existe uma lei que deve ser seguida: qualquer reunião não autorizada constituirá uma violação da lei", disse o porta-voz da presidência da Rússia, Dmitry Peskov, na sua entrevista coletiva diária. Peskov acrescentou que quem participar de reuniões não autorizadas será punido de acordo com a legislação vigente

"Uma boa pessoa e não apenas um bom político"

Na igreja e no cemitério, foram instaladas cercas metálicas e foi destacado um significativo efetivo policial. Várias câmeras de vigilância e outros dispositivos que podem servir como inibidores de sinal de internet e celular também foram colocados nos postes do cemitério.

"Navalni era a consciência da nação. E, embora tenha medo, escolhi a consciência ao invés do medo e é por isso que estou aqui", disse à EFE uma mulher de 65 anos que se identificou como Svetlana e ressaltou que o legado do opositor "não morrerá".

Outro apoiador, que preferiu não se identificar, comentou que Navalni "era uma boa pessoa e não apenas um bom político". "As pessoas o seguiram porque ele não apenas disse a verdade, mas acreditou no que disse", destacou. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: