X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Na Cúpula do G7, Lula defende governança internacional e intergovernamental da IA


O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu, em discurso à Cúpula do G7, na Itália, a criação de uma "governança internacional e intergovernamental" para tratar da inteligência artificial. As declarações do presidente brasileiro ocorreram nesta sexta-feira, 14.

Segundo texto divulgado pelo Palácio do Planalto, Lula afirmou que, na área digital, "vivenciamos concentração sem precedentes nas mãos de um pequeno número de pessoas e de empresas, sediadas em um número ainda menor de países".

Em seguida, Lula mencionou a inteligência artificial como algo que "acentua esse cenário de oportunidades, riscos e assimetrias".

Lula pregou que a inteligência artificial tenha "benefícios compartilhados por todos" e que seja "segura, transparente e emancipadora".

Também defendeu uma tecnologia "que respeite os direitos humanos, proteja dados pessoais e promova a integridade da informação" e "que potencialize as capacidades dos Estados de adotarem políticas públicas para o meio ambiente e que contribua para a transição energética".

Lula defendeu ainda que quer "uma IA que tenha a cara do Sul Global, que fortaleça a diversidade cultural e linguística e que desenvolva a economia digital de nossos países".

"E, sobretudo", acrescentou Lula, "uma IA como ferramenta para a paz, não para a guerra".

Na sequência, Lula disse: "Necessitamos de uma governança internacional e intergovernamental da inteligência artificial, em que todos os Estados tenham assento."

A reunião teve início na manhã desta sexta com a presença do Papa Francisco e representantes de algumas das maiores economias do mundo: Alemanha, Canadá, Estado Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: