X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Mauro Vieira diz que ataque de chanceler israelense a Lula é inaceitável e mentiroso


O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, respondeu na tarde desta terça-feira os ataques do chanceler israelense, Israel Katz, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele afirmou, entre outras expressões duras usadas, que são manifestações inaceitáveis e mentirosas. A reação de Vieira sobe o nível da crise diplomática entre os dois países. As declarações foram dadas no Rio de Janeiro, depois de atividades do G20.

Os atritos entre Brasil e Israel começaram no domingo, depois de o presidente brasileiro comparar as ações militares israelenses na Faixa de Gaza com o Holocausto. Nas horas e dias seguintes, houve reações diversas de autoridades brasileiras e israelenses. Mais cedo nesta terça, porém, Israel Katz fez uma publicação em português no X, antigo Twitter, citando Lula.

"Que vergonha. Sua comparação é promíscua, delirante. Vergonha para o Brasil e um cuspe no rosto dos judeus brasileiros. Ainda não é tarde para aprender história e pedir desculpas. Até então, continuará sendo persona non grata em Israel!", escreveu o ministro de Israel.

"Manifestações do titular da chancelaria do governo Netanyahu, de ontem e de hoje, são inaceitáveis na forma, e mentirosas no conteúdo", disse Vieira.

"O ministro Israel Katz distorce posições do Brasil para tentar tirar proveito em política doméstica. Enquanto atacou o nosso país em público, no mesmo dia, na conversa privada com nosso embaixador em Tel-Aviv afirmou ter grande respeito pelos brasileiros e pelo Brasil, que definiu como a mais importante nação da América do Sul. Esse respeito não foi demonstrado nas suas manifestações públicas, pelo contrário", afirmou o chanceler.

"Uma chancelaria dirigir-se dessa forma a um Chefe de Estado, de um país amigo, o Presidente Lula, é algo insólito e revoltante. Uma chancelaria recorrer sistematicamente à distorção de declarações e a mentiras é ofensivo e grave. É uma vergonhosa página da história da diplomacia de Israel, com recurso a linguagem chula e irresponsável", afirmou Mauro Vieira.

"Estou seguro de que a atitude do governo Netanyahu e sua antidiplomacia não refletem o sentimento da sua população. O povo israelense não merece essa desonestidade, que não está à altura da história de luta e de coragem do povo judeu. Em mais de 50 anos de carreira, nunca vi algo assim", declarou o ministro das Relações Exteriores.

"Não é aceitável que uma autoridade governamental aja dessa forma", declarou o chanceler brasileiro. "Nossa amizade com o povo israelense remonta à formação daquele Estado, e sobreviverá aos ataques do titular da chancelaria de Netanyahu", disse ele.

Mauro Vieira afirmou que o governo israelense busca lançar uma "cortina de fumaça" sobre o "massacre em curso em Gaza, onde 30 mil palestinos já morreram, em sua maioria mulheres e crianças, e a população submetida a deslocamento forçado e a punição coletiva".

"Isso tem levado ao crescente isolamento internacional do governo Netanyahu, fato refletido nas deliberações em andamento na Corte Internacional de Justiça. É este isolamento que o titular da chancelaria israelense tenta esconder. Não entraremos nesse jogo", afirmou Mauro Vieira.

Vieira também disse que o embaixador de Israel em Brasil e o governo de Benjamin Netanyahu foram informados de que "o Brasil reagirá com diplomacia, mas com toda a firmeza, a qualquer ataque que receber".

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: