X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Mãe dá à luz ao terceiro filho enquanto dormia

| 16/10/2020 20:00 h | Atualizado em 16/10/2020, 20:22

A professora e mãe Laura Thompson, de 31 anos, deu a luz enquanto dormia
A professora e mãe Laura Thompson, de 31 anos, deu a luz enquanto dormia |  Foto: Reprodução/Instagram
Laura Thompson, 31 anos, protagonizou o nascimento do seu terceiro filho de forma inusitada. No dia 9 de outubro, enquanto ela dormia no hospital aguardando a hora do parto, o pequeno Jonesy nasceu. O caso aconteceu no dia 9 de outubro, no Texas, nos Estados Unidos.

Laura, ao relatar o acontecimento, disse que a enfermeira só percebeu que o bebê tinha nascido porque o monitor cardíaco que o acompanhava "parou de funcionar".

"Ela me acordou, tirou o cobertor para mover a bola amendoim (um tipo de bola de pilates) que eu estava usando e gritou: ‘bebê na cama!’", contou a mãe ao Yahoo Austrália.

A americana estava de repouso desde o primeiro dia de outubro, quando sofreu um acidente de carro e começou a ter contrações. No dia do nascimento de Jonesy, Laura deu entrada na maternidade no último dia 9, para que tivesse o trabalho de parto induzido.

Indução do parto
Às 6h, a gestante recebeu medicamentos que estimulam as contrações e, por volta das 12h, foi anestesiada, mas, segundo ela, o trabalho de parto estaria "demorando uma eternidade para progredir".

Laura contou ao Yahoo Austrália que começou a indução às 6h e recebeu uma anestesia por volta das 12h, mas o trabalho de parto “demorou uma eternidade para progredir”.

Já à noite, por volta das 21h, Laura avisou à equipe médica que a acompanhava que teria perdido a sensibilidade da perna esquerda. Mas como a gestante estava com seis centímetros de dilatação, os médicos apenas sugeriram que ela e o marido descansassem.

O casal adormeceu e então foi acordado com os gritos de “bebê na cama”. Jonesy estava deitado na perna dormente da mãe. “Eu realmente ri quando o vi. Eu o senti se movendo por tanto tempo que eu simplesmente sabia que ele era forte e estava bem. Foi um momento surreal”, finalizou Laura.

Ambos passam bem após o “parto inusitado”.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS