X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Kim Jong Un cita 'camaradas de armas' enquanto relatos sugerem ida de Putin à Coreia do Norte


O líder norte-coreano, Kim Jong Un, elogiou nesta quarta-feira (12) a expansão do relacionamento do país com a Rússia, enquanto relatos sugerem que o presidente russo, Vladimir Putin, visitará em breve o país para sua terceira reunião com Kim.

A cooperação militar e econômica entre a Coreia do Norte e a Rússia aumentaram acentuadamente desde que Kim visitou a Rússia em setembro passado para uma reunião com Putin. Os EUA, a Coreia do Sul e os seus parceiros acreditam que a Coreia do Norte forneceu mísseis e outras armas convencionais à Rússia para apoiar a sua guerra na Ucrânia em troca de tecnologias militares avançadas e ajuda econômica.

Kim tem pressionado para reforçar as parcerias com a Rússia e a China, numa tentativa de fortalecer a sua posição regional e lançar uma frente unida contra os Estados Unidos.

Durante a reunião de setembro no principal local de lançamento espacial da Rússia, Kim convidou o presidente russo a visitar a Coreia do Norte num "momento conveniente", e Putin aceitou.

Na quarta-feira, Kim enviou a Putin uma mensagem de felicitações em comemoração ao Dia Nacional da Rússia, de acordo com a Agência Central de Notícias Coreana oficial do Norte.

"Graças ao significativo encontro entre nós no porto Vostochney em setembro do ano passado, as relações amistosas e cooperativas desenvolveram-se em uma relação inquebrável de camaradas de armas", disse Kim na mensagem.

Os comentários de Kim foram feitos no momento em que relatos da mídia disseram que Putin deverá visitar a Coreia do Norte já na próxima semana. Se concretizado, seria a sua terceira reunião de cúpula. A primeira aconteceu em Vladivostok, em abril de 2019.

A emissora pública japonesa NHK, citando fontes diplomáticas não identificadas, incluindo altos funcionários russos, informou na quarta-feira que Putin está se preparando para visitar a Coreia do Norte e o Vietnã na próxima semana.

A NHK disse que se espera que Putin busque laços militares mais fortes com a Coreia do Norte, já que a Rússia enfrenta uma escassez de armas em sua guerra com a Ucrânia, enquanto se acredita que a Coreia do Norte quer ajuda com tecnologia espacial após seu recente fracasso em colocar um segundo satélite espião em órbita no final de maio.

No início desta semana, o jornal russo Vedomosti publicou uma reportagem semelhante.

Nem a Rússia nem a Coreia do Norte confirmaram relatos de uma viagem planeada. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse em um briefing no final de maio que "a visita está em andamento e faremos um anúncio no devido tempo", segundo a agência de notícias russa Tass.

A Rússia e a Coreia do Norte estão envolvidas em confrontos separados com os Estados Unidos - a Rússia, por causa da invasão da Ucrânia, e a Coreia do Norte, por causa do avanço do seu programa nuclear. Tanto a Coreia do Norte como a Rússia negaram as alegações de transferências de armas, o que seria uma violação de múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Em Março, o ministro da Defesa sul-coreano, Shin Wonsik, disse que a Coreia do Norte já tinha enviado cerca de 7.000 contêineres cheios de munições e outro equipamento militar para a Rússia. Em troca, Shin disse que a Coreia do Norte recebeu mais de 9.000 contentores russos, provavelmente cheios de ajuda.

Recentemente, as tensões na Península Coreana aumentaram novamente quando a Coreia do Norte lançou balões de lixo em direcção à Coreia do Sul, levando o Sul a retomar as transmissões de propaganda nas zonas fronteiriças. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: