X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Grampo em 1,5 milhão de telefones

Empresa da Venezuela revelou pedidos de interceptações de linhas e acessos à internet. ONGs falam em vigilância em massa

Jornal A Tribuna | 26/06/2022 16:16 h

Uso de telefone  foi alvo de mais de 3,5 milhões de solicitações de interceptações para  acessar os dados do assinante e sua localização em tempo real
Uso de telefone foi alvo de mais de 3,5 milhões de solicitações de interceptações para acessar os dados do assinante e sua localização em tempo real |  Foto: Arquivo/AT
 

A transnacional espanhola Telefónica revelou pedidos de "interceptações" de mais de 1,5 milhão de suas linhas de telefone e acessos à internet na Venezuela em 2021, o que defensores dos direitos humanos consideram  "vigilância em massa" do Estado.

As "interceptações legais" das linhas de telefonia e acessos à internet da Telefónica pularam de 380.250 em 2016 para 861.004 em 2021, com mais de 1,5 milhão de "acessos afetados" nesse último ano, segundo um relatório da empresa, que opera desde 2005.

A empresa divulgou dados sobre os pedidos de interceptações e bloqueios a sites recebidos das autoridades nos doze países onde opera: Alemanha, Reino Unido, Espanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, Uruguai e Venezuela.

"É um abuso sistemático da interceptação de comunicações", disse Andrés Azpúrua, diretor da "VE Sin Filtro", uma ONG venezuelana que luta contra bloqueios e restrições na Internet.

Carlos Correa, diretor da ONG Espaço Público, que monitora ataques contra a liberdade de expressão, lamentou o "aumento dos grampeamentos telefônicos".

Esses "grampeamentos" atingiram 20% dos clientes da Telefónica na Venezuela e apenas 0,28% no Brasil, 0,05% na Argentina e 0,00% no México, Colômbia e Equador. Entre 2016 e 2021, houve mais de 3,5 milhões de solicitações de "interceptações" destinadas a acessar os dados do assinante e sua localização "em tempo real".

Cerca de um milhão de linhas  foram afetadas por solicitações de "metadados": informações pessoais, localização, endereços IP, número de mensagens de texto recebidas e enviadas e chamadas recebidas e efetuadas.

A Universidade Nacional de Segurança Experimental (UNES) também está habilitada a solicitar escutas telefônicas. "Em termos práticos, qual é a necessidade de uma universidade ter o poder de intervir nas comunicações privadas?", questionam membros do Espaço Público.

A Telefónica é a principal operadora de telefonia móvel da Venezuela. A estatal CANTV, por sua vez, domina o mercado de telefonia e internet fixa.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS