X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Europa diz que Rússia pode impor corte de gás e teme dificuldade no inverno

"A Rússia está nos chantageando, usando a energia como arma", disse a presidente do Executivo da União Europeia, Ursula von der Leyen

Agência Folhapress | 20/07/2022 11:23 h

União Europeia teme corte total de gás
União Europeia teme corte total de gás |  Foto: Divulgação site Gazprom
 

A União Europeia (UE) avalia o corte total do fornecimento de gás da Rússia como um cenário possível, afirmou nesta quarta-feira (20) a presidente do Executivo do bloco, Ursula von der Leyen.

A fala veio após a Comissão Europeia propor aos países-membros que adotem a meta voluntária de corte de 15% da demanda doméstica por gás natural, com o objetivo final de diminuir a dependência de Moscou.

A sugestão integra um pacote lançado pela Comissão para pensar nas dificuldades que serão enfrentadas no inverno no Hemisfério Norte, e todos os cidadãos estão sendo convidados a poupar gás nas próximas semanas.

"A Rússia está nos chantageando, usando a energia como arma", disse a alemã durante entrevista coletiva. "Seja um corte parcial ou um corte total do gás russo: a Europa precisa estar pronta."

Pouco depois, em sua conta oficial no Twitter, ela pediu que as nações que integram o bloco demonstrem unidade. "Temos de pensar na nossa segurança energética; aprendemos com a pandemia que, se agirmos em unidade, podemos enfrentar qualquer crise", escreveu.

O holandês Frans Timmermans, que lidera assuntos de clima na Comissão, pediu que os cidadãos diferenciem quais gastos de energia são realmente necessários e quais são apenas confortáveis. "Com cortes gerenciados e abrindo mão de alguns confortos, podemos evitar uma crise total neste inverno."

Dados de abril do Eurostat, o gabinete de estatísticas da UE, mostravam que mais de 48% do gás natural do bloco era importado da Rússia. Na sequência estavam Noruega (18%) e Argélia (13%).

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS