X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

EUA, Coreia do Sul e Japão condenam maior cooperação entre Rússia e Coreia do Norte


Os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão condenaram nos "termos mais veementes" o aprofundamento da cooperação militar entre a Coreia do Norte e a Rússia, incluindo a continuação das transferências de armas de Pyongyang para Moscou, que violam múltiplas Resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, e ameaçam a estabilidade tanto no Nordeste da Ásia como na Europa.

Em comunicado conjunto, os três países afirmam que o avanço da parceria, conforme sublinhado pela assinatura do "Tratado de Parceria Estratégica Abrangente" durante a visita do líder russo Vladimir Putin a Pyongyang, em 19 de Junho, deve ser motivo de grande preocupação para "qualquer pessoa com interesse em manter a paz e a estabilidade na Península Coreana, defendendo o regime global de não proliferação nuclear e apoiando o povo da Ucrânia na defesa da sua liberdade e independência contra a agressão brutal da Rússia".

Os países reafirmam a sua intenção de reforçar ainda mais a cooperação diplomática e de segurança para combater as ameaças que a Coreia do Norte representa para a segurança regional e global e para evitar a escalada da situação. "Os compromissos dos EUA com a defesa da República da Coreia e do Japão permanecem firmes. Os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão também reafirmam que o caminho para o diálogo permanece aberto e instam a Coreia do Norte a cessar novas provocações e a regressar às negociações", afirma a publicação.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: