X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Defesas aéreas da Ucrânia estão sobrecarregadas com ataques russos, diz conselheiro de Zelenski


Uma entrevista com um importante conselheiro de Volodmir Zelenski no sábado, 13, revelou que a Ucrânia está com dificuldades em barrar mísseis russos por estar sobrecarregada com os ataques dos últimos dias. Na última semana, uma usina termal de carvão e gás foi atingida pelas forças da Rússia, deixando cidades próximas sem sistema de aquecimento.

Mykhailo Podolyak, um dos conselheiros presidenciais da Ucrânia, afirmou que o país corre riscos de defesa e não tem sistemas aéreos antimísseis o suficiente. Segundo ele, cerca de 10 a 12 mísseis estão sendo lançados simultaneamente, o que faz com que a barreira de defesa aérea não consiga impedir todos os ataques.

"O sistema está sobrecarregado", disse Podolyak em uma entrevista, de acordo com o jornal britânico The Guardian. "Agora temos que ver se podemos manter o sistema funcionando, se precisamos de mais sistemas de defesa aérea, especialmente contra mísseis balísticos anti-ultrassônicos, e se podemos restaurar as instalações destruídas".

O ataque à usina termal de carvão e gás Trypilska, que fica a pouco mais de 50 quilômetros da capital Kiev, aconteceu na quinta-feira, 11, e destruiu toda sua capacidade de produzir energia. Moradores de bairros próximos disseram ouvir cerca de seis explosões na madrugada ainda de quinta-feira.

Podolyak reforçou um pedido de ajuda ao ocidente, principalmente aos Estados Unidos, para que seus aliados possam ajudar a reconstruir o sistema de escudo aéreo que protege contra os mísseis vindos da Rússia. De acordo com o governo ucraniano, Kiev tem apenas dois sistemas operantes no momento, mas precisa de 25 deles para sobreviver ao conflito.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: