X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Congressistas democratas e republicanos dos EUA se reúnem com Dalai-Lama, sob críticas da China


Uma delegação bipartidária de congressistas dos Estados Unidos se reuniu nesta quarta-feira (19) com o Dalai-Lama, na residência dele em Dharamshala, na Índia. O fato gerou críticas da China, que vê o líder espiritual exilado do budismo tibetano como um perigoso separatista.

O episódio ocorre no momento em que Washington e Pequim retomaram recentemente conversas, após vários anos de turbulências que começaram após a imposição de tarifas sobre produtos chineses, sob o governo Donald Trump. As relações pioraram ainda mais durante a pandemia da covid-19 e com as tensões militares crescentes no Mar do Sul da China e no Estreito de Taiwan.

A delegação de alto nível, liderada pelo deputado republicano Michael McCaul, incluía a democrata Nancy Pelosi, ex-presidente da Câmara dos Representantes e chegou na terça-feira (18) à cidade indiana, onde o Nobel da Paz se refugiou desde um fracassado levante contra o regime chinês em 1959. Além disso, eles se encontraram com autoridades do governo do Tibete no exílio, que querem mais autonomia para o Tibete.

Pequim não reconhece esse governo exilado e não quer qualquer diálogo com representantes do Dalai-Lama desde 2010. Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lin Jian disse que Washington não deve apoiar a independência tibetana nem assinar qualquer lei nessa linha, ou o país adotará "medidas resolutas", não especificadas.

Lin afirmou que é sabido que o Dalai-Lama não é apenas uma figura religiosa, mas um exilado político com atividades separatistas anti-China. O Dalai-Lama, hoje com 88 anos, nega ser separatista e diz que defende apenas autonomia substancial e proteção à cultura budista nativa do Tibete. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: