X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Chuvas e lava vulcânica fria matam dezenas na Indonésia


Um temporal que atingiu a Indonésia na última semana já deixou dezenas de mortos no país. Equipes de emergência encontraram 41 pessoas mortas até esta segunda-feira, 13, e outras 17 estão desaparecidas. As chuvas se concentraram na ilha de Sumatra e provocaram no sábado, 11, um deslizamento de lava vulcânica fria do monte Marapi. As águas de um rio da região transbordaram e deixaram cerca 200 casas e edifícios debaixo d'água.

As cheias também bloquearam com lama as principais estradas da região e cortaram o acesso a outras cidades. "O mau tempo, as estradas danificadas e o acesso bloqueado por lama e detritos complicaram os esforços de socorro", disse o dirigente da Agência de Assistência a Catástrofes da Sumatra Ocidental, Ilham Wahab à Associated Press.

Em imagens da Agência Nacional de Busca e Salvamento é possível ver árvores arrancadas e uma grande quantidade de lama em aldeias da ilha.

A lava fria é a combinação do material vulcânico, como cinzas, areias e rochas. Como aconteceu na Indonésia, as fortes chuvas podem provocar a mistura e fazer com que ela se movimente ao longo de crateras.

A catástrofe aconteceu apenas dois meses depois que 26 pessoas morreram e 11 ficaram desaparecidas na mesma região devido a outro temporal, que provocou inundações e deslizamentos de terra. No ano passado, uma erupção inesperada do monte matou 23 alpinistas.

As erupções do Marapi são difíceis de serem previstas, pois a sua fonte está próxima da superfície e ficam imperceptíveis aos sismógrafos. O vulcão está ativo desde uma erupção, em janeiro do ano passado, sem vítimas.

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA em www.estadao.com.br/link/estadao-define-politica-de-uso-de-ferramentas-de-inteligencia-artificial-por-seus-jornalistas-veja/ .

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: