Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Chineses criam o vidro mais forte do mundo

| 13/08/2021 08:13 h

Um grupo de pesquisadores chineses conseguiram desenvolver o vidro mais forte do mundo, que é virtualmente inquebrável e capaz até mesmo de arranhar cristais de diamante com relativa facilidade.

O novo material, que tem sido chamado provisoriamente de AM-III tem boas propriedades mecânicas e está sendo criado para uso em células solares, devido a sua alta resistência e desgaste lento.

A análise do material, que foi publicada na revista National Science Review, demonstrou que o vidro chinês chegava a nada menos do que 113 gigapascais em um teste de dureza. Para efeito de comparação, pedras de diamante pontuam, em média, 50 a 70 gigapascais nesse mesmo teste de dureza. As medições mostraram que o AM-III é mais forte que os diamantes e outros tipos de vidros.

Enquanto nas pedras de diamantes, a estrutura interna dos átomos e moléculas é o que torna o material duro e resistente, no AM-III, os pesquisadores descobriram uma combinação de ordem e desordem de suas moléculas, o que dá origem a suas propriedades especialmente fortes e resistentes.

Painéis solares devem utilizar o AM-III para geração de energia devido a  sua alta resistência e desgaste lento
Painéis solares devem utilizar o AM-III para geração de energia devido a sua alta resistência e desgaste lento |  Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Para chegar ao AM-III, os pesquisadores usaram fulerenos, que são materiais feitos de arranjos de átomos de carbono ovais, eles produziram diferentes tipos de vidros, incluindo o AM-III, que tinha a ordem mais alta de átomos e moléculas. Para conseguir isso, os fulerenos foram triturados e expostos a imensa pressão e um calor de 1.200°C por cerca de 12 horas.

Semicondutor
Segundo os pesquisadores, o novo vidro também tem propriedades de absorção de energia que são comparáveis aos semicondutores usados atualmente em células solares, como o silício.

Seria possível tornar o material ainda mais duro ao aumentar a ordem dos átomos e moléculas, mas isso poderia acabar com a semicondutividade do material.

Na conclusão do estudo, os pesquisadores disseram que o surgimento do AM-III pode ser apenas o início de uma nova classe de materiais amorfos, semicondutores, extremamente duros e também fortes.

Essa nova classe pode proporcionar excelentes candidatos para as aplicações práticas mais exigentes de diferentes setores da indústria.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS