X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

China vai trazer solo de marte antes dos Estados Unidos

Anúncio aconteceu em um seminário com vários pesquisadores

Redação do Jornal A Tribuna | 22/06/2022 06:59 h

Rover Zhurong em Marte, na primeira missão interplanetária
independente da China
Rover Zhurong em Marte, na primeira missão interplanetária independente da China |  Foto: Divulgação/CSA
 

Em Pequim, uma liga de instituições de ensino e pesquisa da China promoveu um seminário sobre Exploração do Espaço Profundo, no Fórum de Ciência e Tecnologia de Sobrevivência fora da Terra, evento em comemoração aos 120 anos de existência da Universidade de Nanjing. 

Durante a conferência, Sun Zezhou, designer-chefe da Tianwen-1, missão chinesa de pesquisa em Marte, afirmou que o país vai trazer amostras marcianas para a Terra antes dos EUA e da Europa.

Segundo Zezhou, as amostras que serão coletadas pelos próximos dois lançamentos da China ao Planeta Vermelho devem ser entregues à Terra em 2031, dois anos antes de uma missão conjunta da NASA National Aeronautics and Space Administration (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço), com a Agência Espacial Europeia (ESA). 

Tianwen-1 antes do lançamento
Tianwen-1 antes do lançamento |  Foto: Divulgação
 

A informação foi divulgada no Twitter por Yuqi Qian, doutorando do Instituto de Ciência Planetária da Escola de Ciências da Terra da Universidade de Geociências da China, em Wuhan, ontem.

De acordo com o designer-chefe Zezhou, a complexa missão de multi-lançamento, que terá uma arquitetura mais simples em comparação ao projeto NASA-ESA, vai decolar no fim de 2028.

Em março, a NASA anunciou planos para adiar a próxima fase de sua campanha Mars Sample Return e compartilhar a missão de lander Earth Return Orbiter (ERO) com a ESA em duas naves espaciais separadas para reduzir o risco total do programa.  Segundo o planejamento, o ERO deve ser lançado no ano de 2027, com retorno programado para 2033.

Denominada Tianwen-3, a missão da China em Marte consistirá em duas combinações: um veículo de pouso e ascensão e um módulo orbital e de retorno. As combinações serão lançadas separadamente em foguetes Long March 5 e Long March 3B, respectivamente. 

A missão será baseada nas tecnologias e técnicas de entrada, descida e pouso de Marte demonstradas pela Tianwen-1 em 2021. 

Pelo planejamento, o pouso em Marte ocorreria por volta de setembro de 2029, a partir de quando serão coletadas amostras da superfície do planeta, além da aplicação de técnicas de perfuração e amostragem inteligente móvel.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS