X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Chefe da UNRWA diz que governo de Israel quer 'destruir' a agência da ONU


O chefe da principal agência das Nações Unidas que apoia a população em Gaza, Philippe Lazzarini, apontou que o governo de Israel tem a intenção de "destruir" a organização junto com a ideia de que os palestinos são refugiados e têm o direito de retornar para suas casas um dia.

Em entrevista ao jornal suíço Tages-Anzeiger, Lazzarini acusou o governo de Israel de ter "um objetivo político de longo prazo" de eliminar a agência da ONU que ele lidera, conhecida pela sigla UNRWA em inglês. A instituição foi criada há mais de 70 anos para assistir palestinos que fugiram de suas moradias durante a guerra que ocorreu no Oriente Médio em 1948.

"No momento, estamos lidando com uma campanha israelense ampla e concentrada, direcionada para destruir a UNRWA", disse Philippe Lazzarini. Seus comentários são os mais fortes realizados por ele para contrapor as acusações da administração do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu de que a agência da ONU ignorou tentativas do Hamas para se infiltrar na instituição.

Lazzarini, que atua como comissário-geral da UNRWA desde 2020, disse que o governo de Israel aparentemente acredita que "se a agência for abolida, o status dos refugiados palestinos será resolvido de uma vez por todas, bem como o direito de retorno."

O gabinete do primeiro-ministro de Israel não comentou as afirmações de Lazzarini à publicação suíça. A administração Netanyahu alegou que 12 entre os milhares de funcionários da UNRWA participaram do ataque terrorista do Hamas no dia 7 de outubro e que provocou a morte de 1.200 pessoas, além do sequestro de outras 200.

Os EUA, o maior país doador da agência, suspendeu o envio de fundos para a instituição e estão buscando alternativas. Lazzarini apontou que sem o dinheiro do governo americano e de outras nações, que já chega a US$ 438 milhões, mais da metade do funding esperado para este ano, a UNRWA terá que parar suas operações em abril.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: