X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Chanceler russo diz que alternativa a sanções é "guerra nuclear devastadora"

Fala foi feita durante entrevista à emissora Al Jazeera

Redação Tribuna Online | 02/03/2022 15:44 h

O chanceler russo, Sergei Lavrov,
O chanceler russo, Sergei Lavrov, |  Foto: Arthur Max/MRE
 

O chanceler russo, Sergei Lavrov afirmou, nesta quarta-feira (2), que o presidente do Estados Unidos, Joe Biden, sabe que a única alternativa às sanções contra a Rússia é uma terceira guerra mundial "nuclear e devastadora". A fala foi feita durante uma entrevista à emissora Al Jazeera, do Catar. 

"(Biden) tem experiência e sabe que não há alternativa às sanções, senão a guerra mundial. E a terceira guerra mundial seria uma guerra nuclear devastadora", disse o chefe da diplomacia russa.

Desde que invadiu a Ucrânia, no dia 24 de fevereiro, a Rússia vem enfrentando várias sanções da União Europeia (UE), dos Estados Unidos e de diversas entidades e países, incluindo a tradicionalmente neutra Suíça, que visam atingir setores como o financeiro, de aviação, energia e desporto. 

Na mesma entrevista, Lavrov afirmou que a Rússia está preparada para enfrentar as sanções, mas também admitiu que não esperava ver atletas, intelectuais, artistas e jornalistas sendo atacados pelos outros países. 

No entanto, o chanceler russo afirmou que, apesar disso, "a Rússia tem muitos amigos e não p0ode ser isolada. Sobre as razões para o conflito com a Ucrânia, Lavrov disse que os países ocidentais se recusaram a atender às exigências da Rússia para a formulação de nova arquitetura de segurança europeia.

De acordo com o chefe da diplomacia, a invasão à Ucrânia tem o objetivo de impedir o país vizinho de adquirir arma nuclear. "Não podemos permitir a presença de armas ofensivas na Ucrânia que ameacem nossa segurança", disse.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS