Login

Atualize seus dados

ROUBO MILIONÁRIO

Casal rouba garrafa de vinho de R$ 2,2 milhões em restaurante de luxo

A garrafa de Château d'Yquem foi produzida em 1806

01/11/2021 16:27:27 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Casal rouba garrafa de vinho de R$ 2,2 milhões em restaurante de luxo
 

Dois ladrões furtaram 45 garrafas de vinho da adega de um complexo de hotéis e restaurantes de luxo situado na cidade de Cáceres, na Espanha. Entre elas, uma unidade de Château d'Yquem, produzido em1806, que custa 295 mil libras esterlinas (equivalente a R$ 2,2 milhões).

As garrafas foram furtadas por um casal que ficou hospedado no hotel e jantou no restaurante do complexo. O roubo aconteceu na quarta-feira e foi divulgado na sexta-feira (29). Um dos donos do estabelecimento, José Polo, afirmou que a dupla se aproveitou do momento em que o recepcionista foi até a cozinha.

Nesse instante, o homem teria aproveitado que ninguém monitorava as câmeras de segurança e foi até o porão para roubar as garrafas. A adega do estabelecimento tem mais de 40 mil garrafas.

“Eles eram profissionais, sabiam exatamente o que estavam fazendo”,  afirmou Polo. De acordo com o proprietário, os ladrões falavam inglês e deram a impressão de serem refinados. O casal  deixou o hotel durante a madrugada.

O homem e a parceira  pagaram a conta com cartão de crédito e levaram sacolas cheias de garrafas. Mas ninguém percebeu que entre elas havia vinhos valiosos que não foram pagos pelo casal de larápios.

Além do Château d'Yquem, também foram furtadas pelo menos seis garrafas de Romanée-Conti, produzido na região francesa de Borgonha, no século 19.

Polo suspeita que o casal de ladrões trabalha para algum colecionador particular, uma vez que eles levaram garrafas que não são vendidas no mercado aberto.

“Essas garrafas são muito numeradas e controladas. Esse Yquem de 1806 é único; todo mundo sabe que é nosso”, afirmou Polo.

A preciosa garrafa do Chateau d'Yquem de 1806, chegou às mãos  dos donos do  restaurante Atrio de Cáceres Toño Pérez e Jose Polo  no ano de 200, quando eles adquiriram uma coleção de garrafas antigas na Christie's, a prestigiosa casa de leilões londrina. 

Entre elas, uma se destacou:  Chateau d'Yquem de 1806, um vinho doce exclusivo da região de Sauternes no extremo sul de Bordéus que é um dos mais antigos na história do vinho e o único qualificado como Premier Grand Cru Classé Supérieur .

Manobra para salvar líquido caro

Imagem ilustrativa da imagem Casal rouba garrafa de vinho de R$ 2,2 milhões em restaurante de luxo
 

Após a aquisição do  Chateau d'Yquem de 1806, um acidente quase colocou tudo a perder.  Acontece que no início do século XIX as garrafas eram feitas de forma totalmente artesanal, portanto os tamanhos não eram padronizados e a garrafa de 1806 era maior que o resto das garrafas do lote. 

Isto fez com que ao fechar a caixa de madeira em que iam guardá-la, a garrafa recebesse um golpe e se partisse no gargalo. Felizmente, a garrafa estava  embrulhada em plástico e o precioso líquido  não  derramou  completamente. 

E aqui, segundo Toño e José, uma aventura digna de um filme começou a salvar o vinho. Em primeiro lugar, eles entraram em contato com  a adega, de onde Madame Garbey, chefe de Enologia da Yquem, indicou a necessidade de transferir com urgência o vinho para uma garrafa nova, limpa e seca, evitando a todo o custo que o conteúdo da garrafa se perdesse.

Toño e José foram de carro em uma  viagem relâmpago à adega de Bordéus onde a própria enóloga fez a transferência para garrafa semelhante. Como a nova garrafa era ainda maior, optou-se por preencher o espaço vazio com bolas de vidro que são aquelas pequenas pérolas que se vê na garrafa etiquetada com a assinatura do enólogo, atestando a recuperação do vinho original.