X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Carta-bomba explode em embaixada da Ucrânia na Espanha

O atentado causou ferimentos leves, mas levou Kiev a anunciar o reforço da segurança em todos os escritórios de suas representações no exterior


Um agente de segurança da embaixada da Ucrânia na Espanha ficou ferido nesta quarta-feira (30) depois de abrir uma carta-bomba endereçada ao chefe do posto diplomático. O atentado causou ferimentos leves, mas levou Kiev a anunciar o reforço da segurança em todos os escritórios de suas representações no exterior.

A carta chegou pelo correio normal e provocou "uma ferida muito pequena no dedo anelar da mão direita", disse Mercedes Gonzales, autoridade do governo espanhol, à emissora Telemadrid. A correspondência tinha como destinatário o diplomata Serhii Pohoreltsev e foi aberta no jardim da embaixada.

O agente ferido buscou atendimento médico por conta própria e não corre maiores riscos. De acordo com o jornal El País, o homem é ucraniano e trabalha para uma agência de segurança privada.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, determinou que todas as embaixadas do país reforcem o esquema de segurança com urgência. O porta-voz da chancelaria, em comunicado, pediu que a Espanha investigue o atentado também com urgência e alegou que os autores do ataque "não conseguirão intimidar os diplomatas ucranianos ou interromper seu trabalho diário para fortalecer a Ucrânia e combater a agressão russa".

Ainda não há informações sobre a motivação e a autoria do ataque. A empresa estatal espanhola responsável pelo correio não divulgou informações sobre o remetente da correspondência.

A área residencial ao redor da embaixada, na região noroeste de Madri, foi isolada e passou por uma vistoria de uma unidade antibombas. Dezenas de policiais, armados com fuzis, bloquearam estradas para reforçar a segurança do local.

Detetives estão investigando o incidente, auxiliados por peritos forenses e oficiais de inteligência, disse a polícia espanhola. A Suprema Corte da Espanha conduzirá o inquérito.

A Polícia Científica da Espanha está analisando o que sobrou da carta-bomba. Segundo o El País, a investigação também busca respostas sobre a falha dos scanners tradicionalmente utilizados na embaixada.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: