X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Canadá orienta que cidadãos deixem o Líbano com aumento de tensão entre Israel e Hezbollah


A ministra das Relações Exteriores do Canadá, Mélanie Joly, disse na última terça-feira, 25, para os canadenses deixarem o Líbano devido ao aumento das tensões entre Israel e Hezbollah. Para quem está no território canadense, Joly recomendou evitar viagens ao país.

"A situação de segurança no Líbano está se tornando cada vez mais volátil e imprevisível devido à violência contínua e crescente entre o Hezbollah e Israel e pode se deteriorar ainda mais sem aviso prévio", disse Mélanie, em nota.

Militares de Israel afirmaram no dia 18 de junho ter "aprovado e validado" planos operacionais para uma possível ofensiva no Líbano, já que os meses de combates com o Hezbollah, a força paramilitar mais importante do mundo árabe, ameaçam se transformar em uma guerra total.

Segundo informações da agência de notícias AFP, na última quarta-feira, 26, o Ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, declarou durante uma visita aos Estados Unidos que Israel não quer uma guerra no Líbano, mas que pode devolver o país à "Idade da Pedra" se a diplomacia falhar. "Não queremos entrar em uma guerra porque não é bom para Israel. Temos a capacidade de devolver o Líbano à Idade da Pedra, mas não queremos fazê-lo", afirmou. "O Hezbollah entende muito bem que podemos infligir danos massivos ao Líbano se uma guerra começar", disse.

Em uma publicação no X (antigo Twitter), Mélanie Joly alertou aos canadenses que estão no território libanês que os voos comerciais podem ficar indisponíveis.

"Se o conflito armado aumentar, isso poderá afetar a capacidade (dos canadenses) de deixar o país e os nossos serviços consulares. Atualmente, o Canadá não oferece assistência de partida ou evacuação aos canadenses no Líbano e esses serviços não são garantidos", afirmou a ministra, no comunicado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: