X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Blinken acrescenta Israel no roteiro da viagem ao Oriente Médio, em meio a discordâncias


O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, viajará a Israel nesta semana, na sua sexta missão urgente ao Oriente Médio desde que a guerra entre israelenses e Hamas começou em outubro passado. A visita ocorre em meio a uma enxurrada de ligações e visitas planejadas entre autoridades dos EUA e de Israel e à divulgação pública de graves desacordos sobre a situação conflito, enquanto as relações entre os dois países azedaram nas últimas semanas.

O Departamento de Estado americano disse que a parada em Israel seria a última desta viagem de Blinken ao Oriente Médio, que começou na Arábia Saudita nesta quarta-feira, 20, e continuará no Egito na quinta-feira, 21. O principal diplomata dos EUA estará em Tel Aviv na sexta-feira, 22.

"Em Israel, o secretário Blinken discutirá com a liderança do governo de Israel as negociações em curso para garantir a libertação de todos os reféns", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Matthew Miller. "Ele discutirá a necessidade de garantir a derrota do Hamas, inclusive em Rafah, de uma forma que proteja a população civil, não impeça a entrega de assistência humanitária e promova a segurança geral de Israel."

As tensões entre os EUA e Israel sobre o prosseguimento da guerra em Gaza têm aumentado há meses devido ao aumento das vítimas civis, e se intensificaram quando o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse repetidamente que irá ignorar os avisos do presidente americano, Joe Biden, para não iniciar uma operação terrestre em grande escala na cidade de Rafah sem planos para proteger palestinos refugiados.

Biden, que enfrenta uma dura campanha de reeleição antes das eleições presidenciais de novembro, está sob crescente pressão interna para controlar a resposta militar de Israel aos ataques do Hamas em Israel, em 7 de outubro.

Num telefonema na segunda-feira, 18, o primeiro em mais de um mês, Netanyahu concordou em enviar uma delegação de alto nível a Washington para discutir planos, e o Pentágono disse na terça-feira, 19, que o ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, visitaria a capital dos EUA na próxima semana. Fonte: Associated Press.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: